Simulação in situ no atendimento pré-hospitalar fixo

Autores

  • Viviane Aparecida Faria Batista fb.vivi@gmail.com
    USP - Universidade de São Paulo
  • Fernanda dos Santos Nogueira de Goes fernand1@ualberta.ca
    USP - Universidade de São Paulo
  • Rosangela Andrade Aukar de Camargo rcamargo@eerp.usp.br
    USP - Universidade de São Paulo
  • Maria Célia Barcellos Dalri macdalri@eerp.usp.br
    USP - Universidade de São Paulo
  • Danielle Monteiro Vilela brunatoneti@claretiano.edu.br
    USP - Universidade de São Paulo
  • Bruna Francielle Toneti brunatoneti@claretiano.edu.br
    USP - Universidade de São Paulo

DOI:

10.24276/rrecien2024.14.42.304316

Palavras-chave:

Enfermagem, Serviços Médicos de Emergência, Treinamento com Simulação de Alta Fidelidade

Resumo

Descrever uma intervenção pedagógica composta por oficinas teórico-práticas e simulação in situ, desenvolvida com e para a equipe de enfermagem, de acordo com a problematização da realidade e necessidades de aprendizagem. Realizou-se um estudo descritivo e exploratório com 37 profissionais de enfermagem de unidade pré-hospitalar fixa do interior de São Paulo. Parada Cardiorrespiratória, Infarto Agudo do Miocárdio, Eletrocardiograma e Trabalho em Equipe foram as principais necessidades de aprendizagem; essas informações subsidiaram o planejamento das oficinas teórico-práticas e simulação in situ, respectivamente.  As oficinas foram facilitadas com estratégias ativas. A simulação in situ ocorreu na própria unidade, envolvendo todos os profissionais com participação de 100% da equipe presente no dia.  Ações educativas com e para a equipe podem proporcionar uma reflexão sobre o cuidado integral e humanizado quando as necessidades dos participantes são respeitadas em atividades de formação profissional.
Descritores: Enfermagem, Serviços Médicos de Emergência, Treinamento com Simulação de Alta Fidelidade.

 

In situ simulation in fixed pre-hospital care

Abstract: To describe a pedagogical intervention composed of theoretical-practical workshops and in situ simulation, developed with and for the nursing team, according to the problematization of reality and learning needs. A descriptive and exploratory study was carried out with 37 nursing professionals from a fixed pre-hospital unit in the interior of São Paulo. Cardiorespiratory Arrest, Acute Myocardial Infarction, Electrocardiogram and Teamwork were the main learning needs. This information supported the planning of the workshops and in situ simulation, respectively. The workshops were facilitated with active strategies. The in-situ simulation took place in the unit, involving all professionals with 100% participation of the team present on the day. Educational actions with and for the team can provide an opportunity to reflect on comprehensive and humanized care when the participant’s needs are respected for professional training.
Descriptors: Nursing, Emergency Medical Services, High Fidelity Simulation Training.

 

Simulación in situ en atención prehospitalaria fija.

Resumen: Describir intervención pedagógica compuesta por talleres teórico-prácticos y simulación in situ, desarrollada con y para el equipo de enfermería, de acuerdo con la problematización de la realidad y las necesidades de aprendizaje. estudio descriptivo y exploratorio con 37 profesionales de enfermería de una unidad prehospitalaria del interior de São Paulo. Paro Cardiorrespiratorio, Infarto Agudo de Miocardio, Electrocardiograma y Trabajo en Equipo fueron las necesidades de aprendizaje; Esta información apoyó la planificación de los talleres y de simulación in situ, respectivamente. Los talleres fueron facilitados con estrategias activas. La simulación in situ se desarrolló en la unidad, involucrando a todos los profesionales con una participación del 100% del equipo. Las acciones educativas con y para el equipo pueden aportar una reflexión sobre la atención integral y humanizada cuando se respetan las necesidades de los participantes en las actividades de formación profesional.
Descriptores: Enfermeria, Servicios Médicos de Urgencia, Enseñanza Mediante Simulación de Alta Fidelidad.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Rosado FS, Flauzino VHP, Cesário JMS. Assistência de Enfermagem ao paciente com Infarto Agudo do Miocárdio (IAM). Rev Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. 2020; 5:177-95.

Andrade TF, Silva MMJ. Características dos enfermeiros no atendimento pré-hospitalar: concepções sobre a formação e exercício profissional. Enferm em Foco. 2019; 10(1).

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS nº 1.600, de 7 de julho de 2011. Reformula a Política Nacional de Atenção às Urgências e institui a Rede de Atenção às Urgências no Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília: Ministério da Saúde. 2011.

Souza-Silva MVR, Passos PFOP, Lemos TR, Marino BCA, Dias TD, Machado GSB, et al. Implementation of an Acute Coronary Syndrome Simulation Training Strategy for Emergency Healthcare Professionals. International Journal of Cardiovascular Sciences. 2019; 32(3):227-37.

Ribeiro KRA, Silva LP, Lima MS. Conhecimento do infarto agudo do miocárdio: implicações para assistência de enfermagem. Rev Enferm UFPI. 2016; 5(4):63-8.

Freire P. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 53. ed. São Paulo: Paz e Terra. 2016.

Ribeiro DG, Barros FF. Conhecimento da equipe de enfermagem de setores críticos na realização e interpretação de eletrocardiograma. Rev Espaço para a Saúde. 2020; 21(1):47-58.

Sherwood RJ, Francis G. The effect of mannequin fidelity on the achievement of learning outcomes for nursing, midwifery and allied healthcare practitioners: Systematic review and meta-analysis. Nurse Education Today. 2018; 69:81-94.

Silva AR, Nascimento JSG, Nascimento KG, Torres GAS, Pinotti CCM, Dalri MCB. Suporte básico de vida: avaliação do conhecimento considerando a articulação de estratégias ativas de ensino. Texto Contexto Enferm. 2021; 30:e20190358.

Almeida RGS, Mazzo A, Martins JCA, Jorge BM, Junior VDS, Mendes IAS. Autoconfiança no cuidado ao paciente crítico: pré e pós-intervenção simulada. Rev Bras Enferm. 2019; 72:1618-623.

Bassedas E, Oliván M, Seguer M. (Org.). Intervenção Educativa e Diagnóstico Psicopedagógico. Tradução por Beatriz Affonso Neves. 3. ed. Porto Alegre: Artes Médicas. 1996.

Máximo V, Marinho RAC. Intervenção Pedagógica no Processo de Ensino e Aprendizagem. Brazilian Journal of Development. 2021; 7(1):8208-218.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília: Ministério da Saúde. 2012. Disponível em: https://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf>. Acesso em 18 abr 2022.

Freitag RMK. Amostras sociolinguísticas: probabilísticas ou por conveniência? Rev Estudos da Linguagem. 2018; 26(2);667-86.

Minayo MCS, Gomes R. Ciência & Saúde Coletiva no contexto nacional e internacional da divulgação científica. Ciência & Saúde Coletiva. 2015; 20(7):2013-22.

Consultoria e treinamento. Revisão narrativa. Htanalyze. Porto Alegre: HTAnalyze Consultoria e Treinamento. 2022. Disponível em: https://www.htanalyze.com/metanalise/revisao-narrativa/>. Acesso em 4 mai 2022.

INACSL Standards Committee, et al. Healthcare Simulation Standards of Best Practice. Clinical Simulation in Nursing. 2021; 58:1-4.

American Heart Association. 2020 American Heart Association Guidelines for CPR and ECC. 2020 Disponível em: https://cpr.heart.org/en/resuscitation-science/cpr-and-ecc-guidelines>. Acesso em 2 mai 2022.

Pastore CA, Pinho JA, Pinho C, Samesima N, Pereira Filho HG, Kruse JCL, et al. III Diretrizes da Sociedade Brasileira de Cardiologia sobre Análise e Emissão de Laudos Eletrocardiográficos. Arq Bras Cardiol. 2016; 106(4 Suppl 1).

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria GM/MS nº 278, de 27 de fevereiro de 2014. Institui diretrizes para implementação da Política de Educação Permanente em Saúde, no âmbito do Ministério da Saúde. 2014. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2014/prt0278_27_02_2014.html>. Acesso em 12 mai 2022.

Alves MG, Pereira VOS, Batista DFG, Cordeiro ALPC, Nascimento JSG, Dalri MCB. Construção e validação de questionário para avaliação de conhecimento sobre ressuscitação cardiopulmonar. Cogitare Enferm. 2019; 24.

Ascom – Cofen. Relatório da OMS destaca papel da Enfermagem no mundo. 2020. Disponível em: http://ba.corens.portalcofen.gov.br/relatorio-da-oms-destaca-papel-da-enfermagem-no-mundo_55067.html>. Acesso em 4 mai 2022.

Santana LF, Paris MC, Gabriel KOF, Rosa WF, Petry IL, Alves JNB, et al. Atuação do enfermeiro na urgência e emergência: revisão integrativa da literatura. Brazilian Journal of Development. 2021; 7(4):35994-6006.

Almeida LC. PAULO FREIRE: Presente! Levantamento bibliográfico em educação & sociedade. Educ. Soc. 2021; 42:e254030.

Farias IS, Pinto LVD, Costa RS, Chagas TA, Serra JL, Souza MECR, et al. O conhecimento dos profissionais de enfermagem frente à parada cardiorrespiratória na emergência. Research, Society and Development. 2021; 10(16).

Barros RKSP, Lima LVS, Fregadolli AMV. Contribuições das metodologias ativas e aulas práticas para a formação do enfermeiro. Brazilian Journal of Development. 2021; 7(9):87189-209.

Coutinho, VRD. Simulação realística em contexto de Enfermagem. Rev Enferm Contemporânea. 2022; 11:e4217.

Crescêncio PES, Conceição VM, Alves RA, Costa RRO, Almeida RGS, Mazzo A. Percepção dos estudantes que desempenharam papéis de pacientes simulados (role play) em atividades clínicas simuladas. Enferm em Foco. 2021; 11(6).

Costa CRB, Reis RK, Melo ES. Simulação no ensino de emergência para estudantes de enfermagem. Rev Cuid. 2020; 11(2).

Silva LGF, Mousinho MGCP, Couto SIS, Vieira MVAS, Araújo MCS, Frazão MGO, et al. Initial care in cardiac arrest: an integrative literature review. Research, Society and Development. 2022; 11(2).

Publicado

09-06-2024
Métricas
  • Visualizações 0
  • pdf downloads: 0

Como Citar

BATISTA, V. A. F. .; GOES, F. dos S. N. de .; CAMARGO, R. A. A. de .; DALRI, M. C. B. .; VILELA, D. M. .; TONETI, B. F. . Simulação in situ no atendimento pré-hospitalar fixo. Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem, [S. l.], v. 14, n. 42, p. 304–316, 2024. DOI: 10.24276/rrecien2024.14.42.304316. Disponível em: https://recien.com.br/index.php/Recien/article/view/842. Acesso em: 12 jul. 2024.