Principais causas da prematuridade e fatores associados

Autores

  • Lediana Dalla Costa lediana@prof.unipar.br
    UNIPAR - Universidade Paranaense
  • Ana Laura Ferronatto ana.ferronatto@edu.unipar.br
    UNIPAR - Universidade Paranaense
  • Alessandro Neves Popp alessandropopp@unipar.br
    UNIPAR - Universidade Paranaense
  • Arieli Kozerski arieli.kozerski@edu.unipar.br
    UNIPAR - Universidade Paranaense
  • Aghata Possatto aghata.possatto@edu.unipar.br
    UNIPAR - Universidade Paranaense
  • Géssica Paula Battisti gessica.battisti@edu.unipar.br
    UNIPAR - Universidade Paranaense

DOI:

10.24276/rrecien2024.14.42.158168

Palavras-chave:

Recém-Nascido, Perfil, Prematuros, UTI

Resumo

Objetivou-se investigar as principais causas da prematuridade e os fatores maternos-fetais associados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Sudoeste do Paraná. Trata-se de pesquisa de campo exploratória, descritiva, de cunho transversal, quantitativa e retrospectiva, sendo utilizados para coleta de dados os prontuários eletrônicos e a Declaração de Nascido Vivo de neonatos prematuros, buscando analisar 387 prontuários, no período de 2020 e 2021. Resultados: evidenciou-se associação entre óbito com o sexo masculino (p<0,020), prematuridade extrema (p<0,000), peso ao nascer entre 500 gramas e 2,499kg (p<0,108), Apgar no 1°minuto < 7 (p<0,000), Apgar no 5° minuto ≥7 (p<0,000) e parto vaginal (p<0,064). Conclusão: os resultados decorrentes das características maternas não apresentaram associações significativas com o óbito, entretanto, as características perinatais tiveram associações significativas com a mortalidade dos recém-nascidos.

Descritores: Recém-Nascido, Perfil, Prematuros, UTI.

 

Main causes of prematurity and factors associates

Abstract: The study aims to investigate the main causes of prematurity and associated maternal-fetal factors in an Intensive Care Unit (ICU) in Southwest Paraná. This is an exploratory, descriptive, cross-sectional, quantitative and retrospective field research, using electronic medical records and the Declaration of Live Birth (DNV) of premature newborns to collect data, seeking to analyze 387 medical records, in the period of 2020 and 2021. Results: there was an association between death in the male sex (p<0.020), extreme prematurity (p<0.000), birth weight between 500 grams and 2.499 kg (p<0.108), apgar score in the 1st minute <7 (p<0.000), apgar score at the 5th minute ≥7 (p<0.000) and vaginal delivery (p<0.064). Conclusion: the results resulting from maternal characteristics did not show significant associations with death, however, perinatal characteristics had significant associations with newborn mortality.

Descriptors: Newborn, Profile, Premature Babies, ICU.

 

Principales causas de la prematuridad y factores asociados

Resumen: El estudio tiene como objetivo investigar las principales causas de prematuridad y factores materno-fetales asociados en una Unidad de Cuidados Intensivos (UCI) del Suroeste de Paraná. Se trata de una investigación de campo exploratoria, descriptiva, transversal, cuantitativa y retrospectiva, utilizando historias clínicas electrónicas y la Declaración de Nacido Vivo (DNV) de recién nacidos prematuros para recolectar datos, buscando analizar 387 historias clínicas, en el periodo de 2020 y 2021. Resultados: hubo asociación entre muerte en el sexo masculino (p<0,020), prematuridad extrema (p<0,000), peso al nacer entre 500 gramos y 2,499 kg (p<0,108), puntaje de apgar en el 1er minuto <7 (p<0,000), puntaje de Apgar al 5° minuto ≥7 (p<0,000) y parto vaginal (p<0,064). Conclusión: los resultados resultantes de las características maternas no mostraron asociaciones significativas con la muerte, sin embargo, las características perinatales tuvieron asociaciones significativas con la mortalidad neonatal.

Descriptores: Recién Nacido, Perfil, Bebés Prematuros, UCI

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Pilger CH, Prates LA, Escobal APL, Velozo KDS, Gomes NS, Ziani JS. Vivências de mães de bebês prematuros: da gestação aos cuidados no domicílio. Rev Enferm UFSM. 2022; 12:e5-e5.

Pechepiura EP, Migoto MT, Schaedler FGL, Freire MHS. Internações em unidade crítica neonatal de um hospital Infantil público do Paraná. Rev Saúde Pública do Paraná. 2019; 2(2):59-68.

Vanin LK, Zatti H, Soncini T, Nunes RD, Siqueira LBSD. Maternal and fetal risk factors associated with late preterm infants. Rev Paul Pediatria. 2019; 38:e2018136.

Dias BAS, Leal MDC, Martinelli KG, Nakamura-Pereira M, Esteves-Pereira AP, Santos Neto ETD. Recurrent preterm birth: data from the study “Birth in Brazil”. Rev Saúde Pública. 2022; 56(7).

Maronesi NL, Maronezi LFC, Rodrigues RRN, Bortoli CDFC. Análise do indicador de mortalidade infantil em um município do Sudoeste do Paraná. Espaço para a Saúde. 2021; 22.

IBGE. Resultado da pesquisa Estatísticas do Registro Civil. Secretaria Especial de Comunicação Social. 2021.

Brasil. Ministério da Saúde. “Separação zero: aja agora! Mantenha pais e bebês prematuros juntos!” 2021. Disponível em: <https://bvsms.saude.gov.br/17-11-dia-mundial-da-prematuridade-separacao-zero-aja-agora-mantenha-pais-e-bebes-prematuros-juntos/>.

Santos JMS, Nascimento JE, Lima RC, Araújo WBX, Borges AS, Alcantara NMOR, Andrade ÂRL. Prematuridade associada a complicações da Covid-19: uma revisão integrativa. Rev Eletr Acervo Enferm. 2021; 12:e7256-e7256.

Secretaria de Estado da Saúde, SESA. Paraná Governo do Estado. 2022. Disponível em: <https://www.saude.pr.gov.br/>.

Bernardino FBS, Goncalves TM, Pereira TID, Xavier JS, Freitas BHBM, Gaiva MAM. Trends in neonata l mortality in Brazi l from 2007 to 2017. Ciencia Saúde Coletiva. 2022; 27(2):567-578.

Brito FAMD, Moroskoski M, Shibawaka BMC, Oliveira RRD, Toso BRDOG, Higarashi IH. Rede Cegonha: características maternas e desfechos perinatais relacionados às consultas pré-natais no risco intermediário. Rev Esc Enferm USP. 2022; 56.

Ministério da Saúde. Organização Mundial da Saúde (OMS), publicado em (04/11/2022).

Pitilin EDB, Rosa GFD, Hanauer MC, Kappes S, Silva DTR, Oliveira PPD. Fatores perinatais associados à prematuridade em unidade de terapia intensiva neonatal. Texto Contexto Enferm. 2021; 30.

Lopes BA, Oliveira ALCB, Costa GR, Costa AA, Moraes LMV, Maia JM, Bezerra MAR. Características maternas e dos recém-nascidos admitidos em uma unidade de terapia intensiva neonatal. Enferm Atual in Derme. 2020; 93(31).

Mazzetti AC, Pinto AIA, Gelbcke MS, Silva JC, Vaichulonis CG. Características maternas e o impacto da prematuridade no recém-nascido. Rev Saúde. 2022; 13(1):19-27.

Souza KCL, Campos NG, Júnior FFUS. Perfil dos recém-nascidos submetidos à estimulação precoce em uma unidade de terapia intensiva neonatal. Rev Bras Promoção Saúde. 2013; 26(4):523-529.

Demitto MDO, Gravena AAF, Dell’Agnolo CM, Antunes MB, Pelloso SM. Gestação de alto risco e fatores associados ao óbito neonatal. Rev Esc Enferm USP. 2017; 51.

Lansky S, Friche AADL, Silva AAMD, Campos D, Bittencourt SDDA, Carvalho MLD, Cunha AJLAD. Pesquisa nascer no Brasil: perfil da mortalidade neonatal e avaliação da assistência à gestante e ao recém-nascido. Cadernos Saúde Pública. 2014; 30:S192-S207.

Costa ALDRR, Araujo Júnior E, Lima JWDO, Costa FDS. Maternal risk factors associated with the necessity of neonatal intensive care unit. Rev Bras Ginecologia Obstetrícia. 2014; 36:29-34.

Costa LD, Freitas PC, Teixeira GT, Costa G, Viana V, Schiavoni D. Impacto das características maternas e perinatais na evolução do recém-nascido. Rev Enferm UFSM. 2018; 8(2).

Publicado

18-03-2024
Métricas
  • Visualizações 0
  • pdf downloads: 0

Como Citar

COSTA, L. D. .; FERRONATTO, A. L.; POPP, A. N. .; KOZERSKI, A. .; POSSATTO, A. .; BATTISTI, G. P. . Principais causas da prematuridade e fatores associados. Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem, [S. l.], v. 14, n. 42, p. 158–168, 2024. DOI: 10.24276/rrecien2024.14.42.158168. Disponível em: https://recien.com.br/index.php/Recien/article/view/830. Acesso em: 12 jul. 2024.