Responsabilidade ética e política do enfermeiro-docente

Caroline Lemos Martins, Lenícia Cruz Soares, Adrize Rutz Porto, Maira Buss Thofehrn, Sônia Maria Schio

Resumo

A Enfermagem é uma profissão fundamental nos cuidados em saúde, e os Enfermeiros-docentes são responsáveis pela formação dos futuros profissionais a integrar o mundo da Enfermagem. Este estudo teve por objetivo compreender a responsabilidade ética e política do Enfermeiro-docente na visão Arendtiana. Seu referencial teórico foram as ideias de ação de Hannah Arendt. Delineou-se uma pesquisa qualitativa e utilizou-se a Fenomenologia como referencial metodológico. Participaram vinte Enfermeiros-docentes e a coleta de dados ocorreu de março a maio de 2017. Foi realizada entrevista Fenomenológica, seguida da análise Hermenêutica, segundo os pressupostos teóricos de Paul Ricoeur. Assim, emergiram duas categorias: A responsabilidade política na formação de futuros Enfermeiros e a responsabilidade ética. Desta análise, depreendeu-se que os Enfermeiros-docentes reconhecem sua responsabilidade ao atuarem tanto nas atividades de ensino-aprendizagem na Universidade quanto no cuidado aos usuários dos serviços de saúde em campo prático, influenciando no perfil do Enfermeiro a ser formado.

Descritores: Enfermagem, Docência em Enfermagem, Ética, Política.

 

Ethical responsibility and policy of the nurse-teaching

Abstract: Nursing is a fundamental profession in health care and Nurse-teachers are responsible for training future professionals to integrate the world of Nursing. This study aimed to understand the ethical and political responsibility of the Nurse-teacher in the Arendtian view. It had as a theoretical reference the action ideas of Hannah Arendt. Qualitative research was outlined and Phenomenology was used as a methodological framework. Twenty Nurses-teachers participated and the data collection took place from march to may 2017. Phenomenological interviews were carried out, followed by the Hermeneutic analysis, according to the theoretical assumptions of Paul Ricoeur. Thus, two categories emerged: Political responsibility in the formatiom of future Nurses and Ethical responsibility. From this analysis, it emerged that Nurse-teachers recognize their responsibility when working both in teaching-learning activities at the University and in caring for users of health services in a practical field, influencing the profile of the Nurse to be formed.

Descriptors: Nursing, Teaching in Nursing, Ethics, Politics.

 

Responsabilidad ética y política de la enfermera-docente

Resumen: La Enfermería es una profesión fundamental en el cuidado de la salud y los Enfermeros-docentes son los encargados de formar a los futuros profesionales para integrarse al mundo de la Enfermería. Este estudio tuvo como objetivo comprender la responsabilidad ética y política de lo Enfermero-docente en la visión Arendtiana. Su marco teórico fueran las ideas de acción de Hannah Arendt. Se esbozó la investigación cualitativa y se utilizó la Fenomenología como marco metodológico. Participaron veinte Enfermeros-docentes y la recolección de datos se realizó de marzo a mayo de 2017. Se realizaron entrevistas Fenomenológicas, seguidas del análisis Hermenéutica, según los supuestos teóricos de Paul Ricoeur. Así surgieron dos categorías: Responsabilidad política en la formación de futuros Enfermeros y Responsabilidad ética. De este análisis se desprende que los Enfermeros-docentes reconocen su responsabilidad a la hora de trabajar tanto en las actividades de enseñanza-aprendizaje en la Universidad como en la atención a los usuarios de los servicios de salud en un ámbito práctico, influyendo en el perfil de lo Enfermero a formar.

Descriptores: Enfermería, Docencia en Enfermería, Ética, Política.

Texto completo:

PDF

Referências

Brasil. Conselho Nacional de Saúde. Resolução Nº 573, de 31 de janeiro de 2018. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação Bacharelado em Enfermagem. Disponível em: . Acesso em 22 dez 2020.

Fontes FLL, Santana RS, Santo IME, Barros RNS, Maroja MCFS, Nahum BAP, et al. A Enfermagem no ensino superior: estratégias utilizadas pelo enfermeiro docente para melhoria de suas práticas pedagógicas. REAS. 2019; (18):e435.

Ferreira MLSM, Cotta RMM, Oliveira MS. Construção coletiva de experiências inovadoras no processo ensino-aprendizagem na formação de profissionais da saúde. Rev Bras Educação Médica. 2009; 33(2):240-6.

Fernandes CD. Educação e cidadania e a crise na educação de Hannah Arendt. Educação em Revista. 2013; 14(1):65-78.

Santos NP, Marinho FP, Lima KYN, Rodrigues CCFM, Santos VEPS. Docência universitária e o estresse: estressores nos cursos de enfermagem e medicina. Rev Enferm UFSM. 2016; 6(1):61-70.

Schio SM. Arendt e a Educação em uma “Sociedade de Massa”. Rev Sul Americana de Filosofia da Educação. 2008; 8(9):14-22.

Schio SM. Hannah Arendt: educação grega ou romana? Argumentos. 2013; 5(9):205-15.

Silveira RP, Stelet BP, Pinheiro R. Crise na educação médica? Um ensaio sobre o referencial arendtiano. Interface. 2014; 18(48): 115-26.

Arendt H. A condição humana. 12ª ed. rev. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2016.

Arendt H. Entre o passado e o futuro. 2ª reimp da 7ª ed. São Paulo: Perspectiva. 2014.

Borssoi BL. Um olhar no horizonte - estágio como liberdade: pensando na formação do sujeito político. In: XVI Encontro Nacional de Didática e Práticas de Ensino - UNICAMP. Campinas. Anais... São Paulo: Junqueira & Marin. 2012.

Lopéz SM. La entrevista fenomenológica: una propuesta para la investigación en psicología y psicoterapia. Rev Abordagem Gestáltica. 2014; 20(1):71-6.

Ricoeur P. Interpretação e ideologias. Rio de Janeiro: F. Alves. 1983.

Milbrath VM. Criança/adolescente com paralisia cerebral: compreensões do seu modo de ser no mundo. 179 f. Tese (Doutorado em Enfermagem), Programa de Pós-graduação em Enfermagem, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2013.

Almeida VS. Natalidade e educação: reflexões sobre o milagre do novo na obra de Hannah Arendt. Pro-Posições. 2013; 24(2):221-37.

Briskievicz D. A vita activa e os desafios para a educação a partir de Hannah Arendt. Educação (UFSM). 2020; Volume 45. Disponível em: . Acesso em 22 dez 2020.

Vicente JJNB, Luz MR. Arendt e a questão da responsabilidade. Theoria - Rev Eletr Filosofia Faculdade Católica de Pouso Alegre. 2014; 6(15):119-28.

Grosch MS. Ação humana, atividade docente e formação continuada de professores: perspectivas a partir do pensamento de Hannah Arendt. Rev Tempos Espaços Educação. 2018; 11(25):71-2.

Lima MM, Reibnitz KS, Kloh D, Silva KL, Ferraz F. Relação pedagógica no ensino prático-reflexivo: elementos característicos do ensino da integralidade na formação do enfermeiro. Texto Contexto Enferm. 2018; 27(2):e1810016.

Almeida VS. Educação e liberdade em Hannah Arendt. Educação e Pesquisa. 2008; 34(3):465-79.

Canever BP, Prado ML, Gomes DC, Jesus BH. Consciência de mundo epistemológica de docentes da área da saúde. Rev Gaúcha Enferm. 2016; 37(3):e53811.

Soares SGA, Camponogara S, Neves TN, Peres RR, Diaz PS. Responsabilidade socioambiental no contexto hospitalar: revisão integrativa. Rev Enferm UFPE. 2016; 10(11):4118-25.

Silva LAA, Soder RM, Schimdt SM, Noal HC, Arboit EL, De Marco VR. Arquétipos docentes: percepções de discentes de enfermagem. Texto Contexto Enferm. 2016; 25(2):e0180014.

Gonçalves LO. A condição humana e o cuidado de si de profissionais de saúde docentes. 184f. Tese (Doutorado em Enfermagem) Programa de Pós-graduação em Enfermagem, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. 2011.


Visualizações do PDF:

3 views


Visualizações do Resumo:

10 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud