Atenção a sífilis no pré-natal: uma revisão integrativa

Thaina Jacome Andrade de Lima, Maria Valéria Chaves de Lima, Kalyane Kelly Duarte de Oliveira, Vaniely Oliveira Ferreira

Resumo

A Sífilis é a Infecção Sexualmente Transmissível mais transcendente no mundo devido ao sexo desprotegido. No entanto a sífilis congênita é uma doença que pode ser evitada através de práticas realizadas rotineiramente na assistência pré-natal que são efetivas para a prevenção de casos. Investigar quais as ações para diagnóstico e tratamento da sífilis no pré-natal na atenção básica. Foi-se possível analisar os artigos quanto a sua origem, idioma e abordagem e constatou-se que as principais ações da atenção básica estão voltadas para ações de rastreio, diagnóstico, tratamento e ações de avaliação e qualidade dos serviços prestados. Identificou-se que as ações voltadas para combate a sífilis possuem efeitos mais positivos nos locais onde a atenção primária é regente. Justamente por essa atingir públicos que muitas vezes não teriam acesso aos tratamentos em outros níveis de assistência.

Descritores: Sífilis, Cuidado Pré-Natal, Doenças Sexualmente Transmissíveis.

 

Prenatal care for syphilis: an integrative review

Abstract: Syphilis is the most transcendent Sexually Transmitted Infection in the world due to unprotected sex. However, congenital syphilis is a disease that can be prevented through practices performed routinely in prenatal care that are effective in preventing cases. To investigate which actions for diagnosis and treatment of syphilis in prenatal care in primary care. It was possible to analyze the articles as to their origin, language and approach and it was found that the main actions of primary care are focused on actions of screening, diagnosis, treatment and actions of evaluation and quality of services provided. It was identified that the actions aimed at combating syphilis have more positive effects in places where primary care is ruling. Precisely because this public reaches that often it does not have access to other levels of assistance.

Descriptors: Syphilis, Prenatal Care, Sexually Transmitted Diseases.

 

Atención prenatal para la sífilis: una revisión integradora

Resumen: La sífilis es la Infección Transmitida Sexualmente más trascendente del mundo debido al sexo sin protección. Sin embargo, la sífilis congénita es una enfermedad que se puede prevenir mediante prácticas que se realizan de forma rutinaria en la atención prenatal y que son efectivas en la prevención de casos. Investigar qué acciones para el diagnóstico y tratamiento de la sífilis en la atención prenatal en la atención primaria. Se logró analizar los artículos en cuanto a su origen, lenguaje y abordaje y se encontró que las principales acciones de la atención primaria se centran en el cribado, diagnóstico, tratamiento y evaluación y calidad de los servicios brindados. Se identificó que las acciones dirigidas a combatir la sífilis tienen efectos, mas positivos en los lugares donde impera la atención primaria. Precisamente porque llega a públicos que muchas veces no tendrían acceso a tratamientos en otros niveles de asistencia.

Descriptores: Sífilis, Atención Prenatal, Enfermedades de Transmisión Sexual.

Texto completo:

PDF

Referências

Avelleira JCR; Bottino G. Sífilis: diagnóstico, tratamento e controle. An Bras Dermatol. 2006; 81(2):111-126.

Domingues RMSM; Saracen V; HartzI ZMA; Leal MC. Sífilis congênita: evento sentinela da qualidade da assistência pré-natal. Rev Saúde Pública. 2013; 47(1):147-157.

Moreira BC, Ribeiro JL, Silva MMS, Figueredo RC, Silva LS. Sífilis na atenção primária em saúde: desafios e potencialidades no enfrentamento da epidemia. In: Anais da 16ª Semana de Enfermagem IESC FAG. Guaraí - TO. 2019. Disponível em: .

Paiva MRR, Silva RCS, Olivindo DDF. A sífilis congênita no Brasil: uma realidade a ser enfrentada. Research, Society and Development. 2020; 9(10):e7990109258-e7990109258.

Macinko J, Mendonça CS. Estratégia saúde da família, um forte modelo de atenção primária à saúde que traz resultados. Saúde em Debate. 2018; 42(esp):18-37.

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein. 2010; 8(1):102-106.

Gomes NS, Prates LA, Perez RV, Fialho CX, da Silva MLC, Gonzalez PR. Produção científica na área da saúde sobre sífilis gestacional: revisão narrativa. SANARE - Rev de Políticas Públicas. 2020; 19(1):113-120.

Alcadipani R. Periódicos brasileiros em inglês: A mímica do publish or perish" global". Rev Adm Empresas. 2017; 57(4):405-411.

Sales OMM, Pinto VB, Sousa MRF. Arquitectura de la Información: estudio y análisis de la base de datos Public Medical (PubMed). Biblios: Journal of Librarianship and Information Science. 2016; (63):1-12.

Esperón JMT. Pesquisa quantitativa na ciência da enfermagem. Esc Anna Nery. 2017; 21(10):e20170027.

Kalinin Y, Neto AP, Passarelli DHC. Sífilis: aspectos clínicos, transmissão, manifestações orais, diagnóstico e tratamento. Odonto. 2016; 23(45-46):65-76.

Begossi JA. Sífilis Gestacional: análise temporal da incidência no município de Porto Alegre/RS no período de 2007 a 2015. Trabalho de conclusão apresentado ao curso de Especialização em Saúde Pública. Porto Alegre: Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2017. Disponível em: .

Ramalho MOA. Avaliação da assistência pré-natal com ênfase na sífilis gestacional na estratégia de saúde da família do Recife. Dissertação de Mestrado. Recife: Universidade Federal de Pernambuco. 2016. Disponível em: .

Mascarenhas LEF, Araújo MSS, Gramacho RCCV. Desafios no tratamento da sífilis gestacional. Repositório Bahiano. 2016. Disponível em: .

Bagatini CLT, Ceccim RB, Machado RZ, Bavaresco CS. Teste rápido para sífilis no pré-natal da atenção básica: avaliação institucional qualitativa e educação permanente em saúde. Saúde em Redes. 2016; 2(1):81-95.

Dantas IAS. Uso do teste rápido treponêmico no Brasil para diagnóstico precoce de sífilis e prevenção da sífilis congênita. Trabalho de Conclusão do Curso. Brasília-DF: Universidade de Brasília - Campus Darcy Ribeiro. 2018. Disponível em: .

Gimenes AFL. Incidência de notificação por sífilis em gestantes e a utilização de testes diagnósticos rápidos na detecção da sífilis gestacional em mulheres residentes no estado de minas gerais, brasil no período de 2009 a 2018. Dissertação de Mestrado. Vitória - RS: Escola Superior de Ciência da Santa Casa de Misericórdia de Vitória. 2019. Disponível em: .

Acosta LMW, Goncalves TR, Barcellos NT. Coinfeccao HIV/sifilis na gestacao e transmissao vertical do HIV: um estudo a partir de dados da vigilancia epidemiológica. Rev Panam Salud Publica. 2016; 40(6):435-442.

Lima DP. Estimativas de soroprevalência e risco da co-infecção HIV-sífilis no idoso. Dissertação de Mestrado. Rio de Janeiro-RJ: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. 2016. Disponível em: . Acesso em 08 nov 2020.

Silva AP, Corrêa CM, Barbosa JAG, Borges CM, Souza MCMR. Aconselhamento em HIV/AIDS e sífilis às gestantes na atenção primária. Rev Enferm UFPE online. 2018; 12(7):1962-1969.

Beck EQ, Souza MHT. Práticas de enfermagem acerca do controle da sífilis congênita. Rev Pesq Cuidado é Fund Online. 2018; 10(esp):19-24.


Visualizações do PDF:

3 views


Visualizações do Resumo:

14 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud