Colonização das fossas nasais de estudantes de enfermagem por Staphylococcus aureus e perfil de resistência aos antimicrobianos

Geovanna Larissa Freitas Satyra, Bárbara dos Santos Fernandes, Alyne Alexandrino Antunes, Nathália Silveira Barsotti

Resumo

O Staphylococcus aureus é uma bactéria de relevância clínica que pode ser encontrada na microbiota nasal dos seres humanos, sendo este o sítio primário de colonização. Indivíduos que convivem em ambientes hospitalares estão mais sujeitos à colonização por S. aureus multirresistentes, tornando-se portadores e disseminadores dessas bactérias. Este estudo teve como objetivo identificar a prevalência de colonização pelo S. aureus na cavidade nasal de estudantes do curso de Enfermagem de uma universidade privada do município de São Paulo e avaliar o perfil de resistência aos antimicrobianos, após aplicação de questionário para determinação da rotina dos participantes em ambiente hospitalar. Amostras de secreção nasal foram coletadas e analisadas. Cepas de S. aureus foram isoladas, identificadas e submetidas ao Teste de Sensibilidade aos Antimicrobianos (TSA). Dentre as amostras dos estudantes colonizados por Staphylococcus spp., 22% correspondiam a S. aureus, dos quais cerca de 6% foram classificados como MRSA, corroborando dados da literatura, que indicam maior índice de cepas MRSA em profissionais da saúde.

Descritores: Staphylococcus Aureus, Infecção Hospitalar, Staphylococcus Aureus Resistente à Meticilina, Desinfecção das Mãos.

 

Colonization of nasal cavities of nursing students by staphylococcus aureus and antimicrobial resistance profile

Abstract: Staphylococcus aureus is a clinical relevant bacterium that can be found on the nasal microbiota of humans, which is the primary site of colonization. Individuals who live in hospital environments are more subject to colonization by multi-resistant S. aureus, becoming carriers and disseminators of these bacteria. This study aimed to identify the prevalence of colonization by S. aureus in the nasal cavity of students of the Nursing course at a private university in the city of São Paulo and to evaluate the profile of resistance to antimicrobials, after applying a questionnaire to determine the routine of participants in a hospital environment. Nasal secretion samples were collected and analyzed. Strains of S. aureus were isolated, identified and submitted to the Antimicrobial Sensitivity Test (TSA). Among the samples of students colonized by Staphylococcus spp., 22% corresponded to S. aureus, of which about 6% were classified as MRSA, corroborating data from the literature, which indicate a higher index of MRSA strains in health professionals.

Descriptors: Staphylococcus Aureus, Cross Infection, Methicillin-Resistant Staphylococcus Aureus, Hand Desinfection.

 

Colonización de cavidades nasales de estudiantes de enfermería por Staphylococcus aureus y perfil de resistencia a los antimicrobianos

Resumen: Staphylococcus aureus es una bacteria de relevancia clínica que se puede encontrar en la microbiota nasal de los humanos, que es el sitio principal de colonización. Los individuos que viven en ambientes hospitalarios están más sujetos a la colonización por S. aureus multirresistentes, convirtiéndose en portadores y diseminadores de estas bacterias. Este estudio tuvo como objetivo identificar una prevalencia de colonización por S. aureus en la cavidad nasal de estudiantes del curso de Enfermería de una universidad privada de la ciudad de São Paulo y evaluar el perfil de resistencia a los antimicrobianos, después de la aplicación de un cuestionario para determinar la rutina de los participantes en un entorno hospitalario. Muestras de secreción nasal fueron recogidas y analizadas. Las cepas de S. aureus fueron aisladas, identificadas y sometidas a la Prueba de Sensibilidad Antimicrobiana (TSA). Entre los principales estudiantes colonizados por Staphylococcus spp., El 22% corresponde a S. aureus, de los cuales alrededor del 6% fueron clasificados como MRSA, corroborando datos de la literatura, que indican un mayor índice de cepas de MRSA en los profesionales de la salud.

Descriptores: Staphylococcus Aureus, Infecición Hospitalaria, Staphylococcus Aureus Resistente a Meticilina, Desinfección de las Manos.

Texto completo:

PDF

Referências

Faria ST, Piekarski ACR, Tognim MCB, Borelli SD, Bedendo J. Perfil fenotípico y genotípico del Staphylococcus aureus aislados de estudiantes de enfermería, 2008. Acta Paul Enferm. 2011; 24(2):213-8.

Silva ECBFd, Samico TM, Cardoso RR, Rabelo MA, Bezerra Neto AM, Melo FLd, et al. Colonização pelo Staphylococcus aureus em profissionais de enfermagem de um hospital escola de Pernambuco. Rev Esc Enferm USP. 2012; 46(1):132-7.

Arantes T, Paixão GOD, Silva M, Castro C. Avaliação da colonização e perfil de resistência de Staphylococcus aureus em amostras de secreção nasal de profissionais de enfermagem. Rev Bras Farm. 2013; 94(1):30-4.

Kumar K, Chen J, Drlica K, Shopsin B. Tuning of the lethal response to multiple stressors with a single-site mutation during clinical infection by Staphylococcus aureus. MBio. 2017; 8(5):e01476-17.

Moura JPd, Pimenta FC, Hayashida M, Cruz EDdA, Canini SRMdS, Gir E. A colonização dos profissionais de enfermagem por Staphylococcus aureus. Rev Latino Am Enferm. 2011; 19(2):325-31.

Paula DF, Pignataro TMC, de Aragão Pedroso RS, Dutra VGDG, Fernandes FG, Norberg AN. Ocorrência de staphylococcus aureus em secreção nasal de estudantes da área da saúde não-frequentadores do ambiente hospitalar no município do Rio de Janeiro. Anais do Seminário Científico do UNIFACIG. 2016.

Santos ALd, Santos DO, Freitas CCd, Ferreira BLA, Afonso IF, Rodrigues CR, et al. Staphylococcus aureus: visitando uma cepa de importância hospitalar. J Bras Patol Med Laboratorial. 2007; 43(6):413-23.

Araujo MQ, Poletto KQ, Bessa NG. Perfil de resistência bacteriana em fômites de UTI em hospital público do Estado do Tocantins. Rev CEREUS. 2017; 9(2):126-41.

Moreira ACMG, dos Santos RRR, Bedendo J. Prevalência e perfil de sensibilidade de staphylococcus aureus isolados em pacientes e equipe de enfermagem/Prevalence and profile of sensitivity of staphylococcus aureus isolated from patients and staff nu. Ciência, Cuidado e Saúde. 2013; 12(3):574-81

Lima MFP, Borges MA, Parente RS, JÚNIOR RCV, Oliveira ME. Staphylococcus aureus e as infecções hospitalares - revisão de literatura. Rev Uningá Review. 2015; 21(1).

Enright MC, Robinson DA, Randle G, Feil EJ, Grundmann H, Spratt BG. The evolutionary history of methicillin-resistant Staphylococcus aureus (MRSA). Proceedings of the National Academy of Sciences. 2002; 99(11):7687-92.

Gelatti LC, Bonamigo RR, Becker AP, Azevedo PA. Staphylococcus aureus resistentes à meticilina: disseminação emergente na comunidade. Anais Brasileiros de Dermatologia. 2009; 84(5):501-6.

McCulloch JA. Avaliação da funcionalidade do locus acessory gene regulator (agr) em cepas de Staphylococcus aureus brasileiras com suscetibilidade reduzida aos glicopeptídeos. Universidade de São Paulo. 2007.

Lowy FD. Staphylococcus aureus infections. New England Journal of Medicine. 1998; 339(8):520-32.

Brasil. Ministério da Educação-Lei n° 11.788, de 25 de setembro de 2008. Disponível em: . Acesso em 13 mai 2019.

Conselho Federal de Enfermagem. COFEN -299/2005 - Revogada pela Resolução COFEN nº 371/2010. 2010. Disponível em: . Acesso em 13 mai. 2019.

Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI). Approved Standards M2-A8. Performance Standards for Antimicrobial Disk Susceptibility Tests. 8.ed. Approved Standard. Wayne (PA): NCCLS. 2005. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/metodo_ref_testes_diluicao_modulo5.pdf>. Acesso em 13 mai. 2019.

Sales LM, Silva TM. Staphylococcus aureus meticilina resistente: um desafio para a saúde pública. Acta Biomedica Brasiliensia. 2012; 3(1):1-13.

Cavalcanti SMM, França ER, Vilela MA, Montenegro F, Cabral C, Medeiros CR. Estudo comparativo da prevalência de Staphylococcus aureus importado para as unidades de terapia intensiva de hospital universitário, Pernambuco, Brasil. Rev Bras Epidemiol. 2006; 9:436-46.

González MJC, Navarro EJB, Mena AP, Molina LMC, Socorro BCH, Pérez MMG. Staphylococcus aureus: estado de portador en personal de enfermería y patrones de susceptibilidad antimicrobiana. Rev Sociedad Venezolana de Microbiología. 2005; 25(2):192-202.

Tipple AFV, Mendonça KM, de Melo MC, Silva AC, Pereira MS, Santos SLV. Higienização das mãos: o ensino e a prática entre graduandos na área da saúde. Acta Scientiarum Health Sciences. 2007; 29(2):107-14.

Silva JLL, Machado EA, Costa FS, Abreu LTA, Taveira RPC, Diniz MIG. Conhecendo as técnicas de higienização das mãos descritas na literatura: refletindo sobre os pontos críticos. Rev Bras Pesq Saúde. 2012.

Mota EC, Barbosa DA, Silveira B, Rabelo TA, Silva NM, Silva P, et al. Higienização das mãos: uma avaliação da adesão e da prática dos profissionais de saúde no controle das infecções hospitalares. Rev Epidemiol Control Infect. 2014; 4(1):12-7.

Mimica MJ, Berezin EN. Staphylococcus aureus resistente à vancomicina: um problema emergente. Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. 2018; 51(2):52-6.

Zurita J, Mejía C, Guzmán-Blanco M. Diagnóstico e teste de sensibilidade para Staphylococcus aureus resistente à meticilina na América Latina. Brazilian Journal of Infectious Diseases. 2010; 14:97-106.


Visualizações do PDF:

25 views


Visualizações do Resumo:

8 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud