Cultura de segurança: avaliação dos colaboradores frente às unidades críticas

Antônio Júlio Ambrósio, Thamara Corrêa, Heloisa de Souza Laureano, Chaiana Esmeraldino Mendes Marcon

Resumo

A cultura de segurança é definida como um conjunto de atitudes e percepções adotadas na prevenção de danos. Objetiva-se avaliar a cultura de segurança do paciente nas unidades críticas. Participaram do estudo 169 profissionais. Utilizou-se como instrumento questionário validado. A análise dos dados ocorreu através de valores absolutos e relativos de positividade para cada uma das 5 dimensões de segurança avaliadas no instrumento. O tempo de trabalho no hospital p= 0,013, tempo de trabalho no setor p= 0,022 evidenciou-se no maior número de colaboradores de 1 a 5 anos de trabalho, relacionado as horas trabalhadas p= 0,007 ficou entre 40 e 59 horas. Como ponto positivo 56,2% dos profissionais apontam que a direção propicia um clima de trabalho que promove a segurança do paciente. Conclui-se que a cultura de segurança é marcada pelo apoio da gestão, tendo como pontos de melhoria a comunicação entre as equipes.

Descritores: Segurança do Paciente, Assistência à Saúde, Unidades Hospitalares.

 

Safety culture: assessment of employees in front of critical units

Abstract: The safety culture is defined as: a set of attitudes and perceptions adopted in the prevention of damages. The objective is to evaluate the safety culture of the patient in the critical units. 169 professionals have participated in the study. It has been used a validated questionnaire as instrument. The analysis of the data occurred through absolute and relative values of positivity for each of the 5 security dimensions evaluated in the instrument. The working time in hospital p = 0.013, working time in the sector p = 0.022 has been evidenced in the largest number of employees from 1 to 5 years of work, related to worked hours p = 0.007 has been between 40 to 59 hours. As a positive point, 56.2% of the professionals point out that management provides a work climate that promotes patient safety. It is concluded that the safety culture is marked by the support of the management, having as points of improvement the communication between the teams.

Descriptors: Patient Safety, Delivery of Health Care, Hospital Units.

 

Cultura de seguridad: evaluación de empleados frente a unidades críticas

Resumen: La cultura de seguridad se define como: un conjunto de actitudes y percepciones adoptadas en la prevención de daños. El objetivo es evaluar la cultura de seguridad del paciente en las unidades críticas. Participaron del estudio 169 profesionales, se utilizó como instrumento cuestionario validado. El análisis de los datos ocurrió a través de valores absolutos y relativos de positividad para cada una de las 5 dimensiones de seguridad evaluadas en el instrumento. El tiempo de trabajo en el hospital p = 0,013, tiempo de trabajo en el sector p = 0,022 se evidenció en el mayor número de colaboradores de 1 a 5 años de trabajo, relacionado a las horas trabajadas p = 0,007 se quedó entre 40 a 59 horas. Como punto positivo el 56,2% de los profesionales apunta que la dirección propicia un clima de trabajo que promueve la seguridad del paciente. Se concluye que la cultura de seguridad está marcada por el apoyo de la gestión, teniendo como puntos de mejora la comunicación entre los equipos.

Descriptores: Seguridad del Paciente, Prestación de Atención de Salud, Unidades Hospitalarias.

Texto completo:

PDF

Referências

Batalha EMSS, Melleiro MM. Cultura de segurança do paciente em um hospital de ensino: diferenças de percepção existentes nos diferentes cenários desta instituição. Texto Contexto Enferm. 2019; 24(2).

World Health Organization. The Conceptual Framework for the International Classification for Patient Safety. Version 1.1. Final Technical Report. Jan. 2009. Disponível em: http://www.who.int/patientsafety/implementation/taxonomy/icps_technical_report_en.pdf. Acesso em: 06 jun 2018.

Brasil. Portaria no 529, de 1o de abril de 2013. Diário Oficial da União. 2013; 43-4.

Health and Safety Commission Advisory Committee on the Safety of Nuclear Installations. Organizing for safety: third report of the ACSNI study group on human factors. Sudbury: HSE Books. 1993.

Souza VS, Silva DS, Lima LV, Teston EF, Benedetti GMS, Costa MR, et al. Qualidade de vida dos profissionais de enfermagem atuantes em setores críticos. Rev Cuid. 2018; 9(2):2177-2186.

Tomazoni A, Rocha PK, Kusahara DM, Souza AIJ, Macedo TR. Avaliação da cultura de segurança do paciente em terapia intensiva neonatal. Texto Contexto Enferm. 2015; 24(1):161-169.

Nunes F, Barros L, Azevedo R, Paiva S. Patient safety: how nursing is contributing to the issue? Rev Pesq: Cuidado é Fundamental Online. 2014; 6(2):841-847.

Amaya MR, Paixão DPSS, Sarquis LMM, Cruz EDA. Construção e validação de conteúdo de checklist para a segurança do paciente em emergência. Rev Gaúcha Enferm. 2016; 37(spe):e68778.

Occelli P, Quenon JL, Kret M, Domecq S, Delaperche F, Claverie O, et al. Validation of the French version of the Hospital Survey on Patient Safety Culture questionnaire. Int J Qual Health Care. 2013; 25(4):459-68.

Waterson P, Griffiths P, Stride C, Murphy J, Hignett S. Psychometric properties of the Hospital Survey on Patient Safety Culture: findings from the UK. Qual Saf Health Car. 2010; 19(5):e2.

Reis CT. A cultura de segurança do paciente: validação de um instrumento de mensuração para o contexto hospitalar brasileiro. Rio de Janeiro. 2013; 203.

Araujo MAN, Lunardi F, Wilson D, Alvarenga MRM. Perfil sociodemográfico dos enfermeiros da rede hospitalar. Recife. Rev Enferm UFPE. 2017; 11(supl.11):4716-4725.

Oliveira ICL, Cavalcante MLSN, Aires SF, Freitas RJM, Silva BV, Marinho DMF, et al. Cultura de segurança: percepção dos profissionais de saúde em um hospital mental. Rio Grande do Sul. Rev Bras Enferm. 2018; 71 (Suppl 5):2316-2322.

Dalri R, Silva L, Mendes A, Robazzi M. Carga horária de trabalho dos enfermeiros e sua relação com as reações fisiológicas do estresse. RLAE. 2014; 22(6):959-65.

Rosso SD. Duração do trabalho em todo o mundo. Tendências de jornadas de trabalho, legislação e políticas numa perspectiva global comparada. Brasília: Soc Estado. 2012; 27(1):183-191.

Pinheiro MP, Júnior OCS. Avaliação da cultura de segurança do paciente em uma organização hospitalar de um hospital universitário. Enf Global. 2015; 16(1): 309-52.

Leonard M, Graham S, Bonacum D. The human factor: The critical importance of effective teamwork and communication in providing safe patient care. BMJ Quality and Safety. 2004; 13:i85-i90.

Bohrer CD, Marques LGS, Vasconcelos RO, Oliveira JLC, Lazzari NA, Kawamoto AM. Comunicação e cultura de segurança do paciente no ambiente hospitalar: visão da equipe multiprofissional. Rev Enferm UFSM. 2016; 6(1):50-60

El-Jardali F, Dimassi H, Jamal D, Jaafar M, Hemadeh N. Predictors and outcomes of patient safety culture in hospitals. BMC Health Serv Res. 2011; 11:45.


Visualizações do PDF:

3 views


Visualizações do Resumo:

7 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud