Avaliação da funcionalidade familiar em pessoas idosas convivendo com HIV/AIDS

Luciária Silva Souza, Naiane Pereira dos Santos, Pollyanna Viana Lima, Isnara Teixeira de Britto, Alessandra Souza de Oliveira, Luciana Araújo dos Reis

Resumo

O presente artigo tem como objetivo identificar a funcionalidade familiar em pessoas idosas convivendo com HIV/AIDS. Trata-se de um estudo de caráter exploratório, descritivo com abordagem quanti-qualitativa, desenvolvida em um Centro de Atenção e Apoio especializado de referência em atendimento para pessoas convivendo com IST’s e HIV/AIDS em um município baiano com 26 pessoas idosos. Utilizou-se roteiro semi-estruturado para entrevista e questionário com dados sociodemográficos e de saúde e o Apgar da família, para avaliação da funcionalidade familiar. Verificou-se no estudo que a maior parte das pessoas idosas diagnosticadas com HIV/AIDS deste estudo convivem em uma família disfuncional grave (34,61%), o que corrobora para que a grande maioria dos idosos mantenham em sigilo o diagnóstico da doença para o seu núcleo familiar, outros convivem com a estigmatização o isolamento e o preconceito. Conclui-se que os idosos convivem em uma família disfuncional grave, com repercussões negativas para o enfretamento da doença.

Descritores: Idoso, Funcionalidade Familiar, HIV, AIDS.

 

Assessment of family functionality in elderly people living with HIV/AIDS

Abstract: This article aims to identify family functionality in elderly people living with HIV/AIDS. This is an exploratory, descriptive study with a quantitative and qualitative approach, developed in a specialized Care and Support Center of reference in care for people living with STIs and HIV/AIDS in a municipality in Bahia with 26 elderly people. A semi-structured script was used for the interview and questionnaire with sociodemographic and health data and the family Apgar, to assess family functionality. It was found in the study that most elderly people diagnosed with HIV/AIDS in this study live in a severe dysfunctional family (34.61%), which corroborates that the vast majority of the elderly keep the diagnosis of the disease confidential. their family nucleus, others live with stigmatization, isolation and prejudice. It is concluded that the elderly live in a severe dysfunctional family, with negative repercussions for coping with the disease.

Descriptors: Elderly, Family Functionality, HIV, AIDS.

 

Evaluación de la funcionalidad familiar en personas mayores que viven con VIH/SIDA

Resumen: Este artículo tiene como objetivo identificar la funcionalidad familiar en personas mayores que viven con VIH / SIDA. Se trata de un estudio exploratorio, descriptivo con enfoque cuantitativo y cualitativo, desarrollado en un Centro de Atención y Apoyo especializado de referencia en la atención a personas viviendo con ITS y VIH / SIDA en un municipio de Bahía con 26 ancianos. Se utilizó un guión semiestructurado para la entrevista y cuestionario con datos sociodemográficos y de salud y el Apgar familiar, para evaluar la funcionalidad familiar. En el estudio se encontró que la mayoría de las personas mayores diagnosticadas con VIH / SIDA en este estudio viven en una familia disfuncional severa (34,61%), lo que corrobora que la gran mayoría de las personas mayores mantienen confidencial el diagnóstico de la enfermedad. su núcleo familiar, otros viven con estigmatización, aislamiento y prejuicio. Se concluye que los ancianos viven en una familia severamente disfuncional, con repercusiones negativas para el afrontamiento de la enfermedad.

Descriptores: Anciano, Funcionalidad Familiar, VIH, SIDA.

Texto completo:

PDF

Referências

Araújo GM, Leite MT, Hildebrandt LM, Oliveski CC, Beuter M. Idosos cuidando de si após o diagnóstico de síndrome da imunodeficiência adquirida. Rev Bras Enferm. 2018; 71(supl.2):793-800.

Oliveira AS. Transição demográfica, transição epidemiológica e envelhecimento populacional do Brasil. Hygeia - Rev Bras Geogr Méd Saúde. 2019; 15(32):69-79.

Lago DCSC, Rodrigues CX, Silva JBA, Brasil VN. HIV/AIDS na terceira idade: desafios no processo de convivência familiar e social. In: VI Congresso Internacional de Envelhecimento Humano (CIEH), 6, 2019, Campina Grande-PB. Anais... Campina Grande-PB: Editora Realize. 2019; 1-9.

Alves MA, Lopes RMDR, Barbosa A. As dificuldades enfrentadas pelo paciente idoso diagnosticado com o HIV: olhar do enfermeiro diante da problemática. Rev Saúde Foco. 2017; 9:691-700.

Aguiar RB, et al. Idosos vivendo com HIV – comportamento e conhecimento sobre sexualidade: revisão integrativa. Cienc Saúde Coletiva. 2020; 25(2):575-584.

Brandão BMGM, et al. Representações sociais de idosos soropositivos acerca do HIV/AIDS. Rev Bras Enferm. 2019; 72(5):1349-1355.

Bittencourt GKGD, et al. Concepções de idosos sobre vulnerabilidade ao HIV/AIDS para construção de diagnósticos de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2015; 68(4):579-85.

Tavares MCA, Leal MCC, Marques APO, Zimmermann RD. Apoio social aos idosos com HIV/AIDS: uma revisão integrativa. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2019; 22(2):e180168.

Silva AO, Loreto MDS, Mafra SCT. HIV na terceira idade: repercussões nos domínios da vida e funcionamento familiar. Rev Pauta. 2017; 15(39):129-154.

Caliari JS, Teles AS, Reis RK, Gir E. Fatores relacionados com a estigmatização percebida de pessoas vivendo com HIV. Rev Esc Enferm USP. 2017; 51:1-7.

Silva ADN, Santos AMGD, Cortez EA, Cordeiro BCA. A família como rede de apoio às pessoas que vivem com HIV/AIDS: uma revisão na literatura brasileira. Rev Ciênc Saúde Coletiva. 2015; 20(4):1109-1118.

Rubin EH, et al. A prospective study of cognitive function and onset of dementia incognitively healthy elders. Arch Neurology. 1998; 55: 359-401.

Ministério da Saúde. Aids/HIV: causas, sintomas, diagnóstico, tratamento e prevenção. 2017. Disponível em: . Acesso em 05 fev 2019.

Ministério da Saúde. SVS - Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINAN Net. 2020.

Aguiar RB, Leal MCC, Marques APDO. Conhecimento e atitudes sobre sexualidade em pessoas idosas com HIV. Ciênc Saúde Coletiva. 2020; 25(6):2051-2062.

Bezzera VP, et al. Vulnerabilidade de idosos ao contágio pelo HIV no contexto de práticas preventivas. Rev Enferm UFPE Online. 2014; 8(1):22-9.

Araujo KMSTD, et al. Avaliação da qualidade de vida de pessoas idosas com HIV assistidos em serviços de referência. Ciênc Saúde Coletiva. 2020; 25(6):2009-2016.

Affeldt AB, Silveira MFD, Barcelos RS. Perfil de pessoas idosas vivendo com HIV/AIDS em Pelotas, sul do Brasil, 1998 a 2013. Epidemiol Serv Saúde. 2015; 24(1):79-86.

Lima Neta MIF. Configurações familiares de idosos que convivem com HIV/AIDS, Tese (doutorado em psicologia: psicologia clínica) - programa de estudos pós-graduados em psicologia: psicologia clínica, PUC-SP, São Paulo. 2017.

Silva RTS, et al. Estratégias de enfrentamento utilizadas por pessoas vivendo com aids frente à situação da doença. Rev Latino Am Enferm. 2018; 26(e2985).

Silva LCD, et al. Impacto psicossocial do diagnóstico de HIV/Aids em idosos atendidos em um serviço público de saúde. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2015;18(4):821-833.

Francisco MTR, et al. O uso do preservativo entre os participantes do Carnaval- perspectiva de gênero. Esc Anna Nery. 2016; 20(1):106-113.

Araldi LM, et al. Pessoas idosos com o vírus da imunodeficiência humana: infecção, diagnóstico e convivência. REME - Rev Mineira Enferm. 2016; 20(e:948):1-8.


Visualizações do PDF:

43 views


Visualizações do Resumo:

159 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud