Trabalho noturno e o risco cardiovascular na equipe de enfermagem

Munyra Rocha Silva Assunção, Andréia Cristina Barbosa Costa, Isabelle Cristinne Pinto Costa, Silvana Maria Coelho Leite Fava

Resumo

Objetivou-se identificar as evidências científicas disponíveis na literatura sobre a associação entre o trabalho noturno e o risco cardiovascular na equipe de enfermagem. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura desenvolvida nas bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (Lilacs), na National Library of Medicine (PubMed), no Banco de Dados em Enfermagem (BDENF) e na Web of Science, no período de 2001 a 2018. Foram encontrados 22 estudos e a análise foi realizada de forma descritiva. Observou-se repercussões prejudiciais do trabalho noturno na vida do profissional de enfermagem, principalmente no que tange aos riscos cardiovasculares. Atenta-se para a necessidade das instituições de saúde avaliarem e acompanharem estes profissionais, propiciando intervenções que possam minimizar os riscos cardiovasculares.

Descritores: Doenças Cardiovasculares, Enfermagem, Saúde do Trabalhador.

 

Night work and cardiovascular risk in the nursing team

Abstract: The objective was to identify the scientific evidence available in the literature on the association between night work and cardiovascular risk in the nursing team. It is an integrative review of the literature developed in the databases: Latin American and Caribbean Literature of Health Sciences Information (Lilacs), in the National Library of Medicine (PubMed), in the Nursing Database (BDENF) and on the Web of Science, from 2001 to 2018. 22 studies were found and the analysis was carried out descriptively. Harmful repercussions of night work were observed in the life of the nursing professional, especially with regard to cardiovascular risks. Attention is paid to the need for health institutions to evaluate and monitor these professionals, providing interventions that can minimize cardiovascular risks.

Descriptors: Cardiovascular Diseases, Nursing, Worker's Health.

 

Trabajo nocturno y riesgo cardiovascular en el equipo de enfermería

Resumen: El objetivo fue identificar la evidencia científica disponible en la literatura sobre la asociación entre el trabajo nocturno y el riesgo cardiovascular en el equipo de enfermería. Esta es una revisión integradora de la literatura desarrollada en las bases de datos: Literatura Latinoamericana y del Caribe sobre Información en Ciencias de la Salud (Lilacs), en la Biblioteca Nacional de Medicina (PubMed), en la Base de Datos de Enfermería (BDENF) y en la Web of Science, de 2001 a 2018. Se encontraron 22 estudios y el análisis se realizó de forma descriptiva. Se observaron repercusiones perjudiciales del trabajo nocturno en la vida del profesional de enfermería, especialmente con respecto a los riesgos cardiovasculares. Se presta atención a la necesidad de que las instituciones de salud evalúen y supervisen a estos profesionales, proporcionando intervenciones que puedan minimizar los riesgos cardiovasculares.

Descriptores: Enfermedades Cardiovasculares, Enfermería, Salud Ocupacional.

Texto completo:

PDF

Referências

Schmidt MI, et al. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: carga e desafios atuais. Rev The Lacent. 2011; 4:61-74. Disponível em: . Acesso em 24 abr 2019.

World Health Organization (WHO). Hearts: technical package for cardiovascular disease management in primary health care. Geneva: World Health Organization, 2016. Disponível em: . Acesso em 27 abr 2019.

Eller NH, et al. Work-related psychosocial factors and the development of ischemic heart disease: a systematic review. Cardiol Rev 2009; 17(2):83-97.

Powell I. Can you see me? Experiences of nurses working night shift in Australian regional hospitals: a qualitative case study. Journal of Advanced Nursing. 2013; 69(10):2172-84.

Azambuja AAA, Dias FM, Bottcher LB. Os efeitos do trabalho noturno na saúde dos profissionais. Rev Interdisciplinar Encontro Ciências. 2019; 2(1):582-92.

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Revisão Integrativa: método de pesquisa para incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Rev Texto Contexto Enferm. 2008; 14(4):758-64.

Fineout-Overholt E, Stillwell SB. Asking compelling, clinical questions. In: Melnyk BM, Fineout-Overholt E. Evidence-based practice in nursing & healthcare: a guide to best practice. Philadelphia: Wolters Kluwer, Lippincot Williams & Wilkins; 2011; 25-39.

Moher D, et al. PRISMA Group. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: The PRISMA statement. J Clin Epidemiol. 2009; 62(10):1006-12.

Ursi, ES. Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. 2005. 130f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem). Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto- SP, 2005. Disponível em: . Acesso em 27 abr 2019.

Silva MB, Fontana RT, Almeida MA. Diagnósticos de enfermagem na saúde do trabalhador: estudo de caso com profissionais de enfermagem. Rev Pesq Cuid Fundam Online. 2012; 4(4):2930-41.

Mauro MYC, et al. O trabalho noturno e a saúde do trabalhador de enfermagem: revisão integrativa. Rev Enferm UFPE on line. 2013; 7(1):813-19.

Silva RM, et al. Trabalho noturno e a repercussão na saúde dos enfermeiros. Rev Esc Anna Nery. 2011; 15(2):270-76.

Girondi JBR, Gelbcke FL. Percepção do enfermeiro sobre os efeitos do trabalho noturno em sua vida. Rev Enferm Foco. 2011; 2(3):191-94.

Macêdo MLAF, et al. Possibilidades e limites da recuperação do sono de trabalhadores noturnos de enfermagem. Rev Gaúcha Enferm. 2009; 30(1):92-8.

Cavagioni L, Pierin AMG. Risco cardiovascular em profissionais de saúde de serviços de atendimento pré-hospitalar. Rev Esc Enferm USP. 2012; 46(2):395-403.

Gaudemaris R et al. Blood pressure and working conditions in hospitalnurses and nursing assistants. The ORSOSA study. Rev. Archives of Cardiovascular Disease. 2011; 104:97-103.

Pietroiusti A et al. Incidence of metabolic syndrome among night-shift healthcare workers. Occup Environ Med. 2010; 67(1):54-7.

Silva-Costa A, Griep RH, Rotenberg L. Disentangling the effects of insomnia and night work on cardiovascular diseases: a study in nursing professionals. Braz J Med Biol Res. 2015; 48(2):120-27.

Rosa PLFS, et al. Percepção da duração do sono e da fadiga entre trabalhadores de enfermagem. Rev Enferm UERJ. 2007; 15(1):100-6.

Lisboa MTL, et al. O trabalho noturno e suas repercussões na saúde do trabalhador de enfermagem. Rev Enferm UERJ. 2010; 18(3):478-83.

Santana RS, et al. Influência do trabalho noturno na qualidade de vida da equipe de enfermagem da UTI. Rev Interd. 2015; 8(2):25-34.

Stanojević C, Simić S, Milutinović D. Health effects of sleep deprivation on nurses working shifts. Rev Med Pregl. 2016; 69(5-6):183-88.

Ramin C, et al. Night shift work at specific age ranges and chronic disease risk factors. Occup Environ Med. 2015; 72(2):100-07.

Lisboa MTL, Oliveira MM, Reis LD. O trabalho noturno e a prática de enfermagem: uma percepção dos estudantes de enfermagem. Rev Esc Anna Nery. 2006; 10(3):393-98.

Ferri P, et al. The impact of shift work on the psychological and physical health of nurses in a general hospital: a comparison between rotating night shifts and day shifts. Risk Manag Healthc Policy. 2016; 9:203-11.


Visualizações do PDF:

9 views


Visualizações do Resumo:

11 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud