Percepções de puérperas sobre a assistência ao parto normal humanizado

Floriacy Stabnow Santos, Letícia Chaves Sousa, Laise Sousa Siqueira, Iolanda Graepp Fontoura, Ismália Cassandra Costa Maia Dias, Marcelino Santos Neto

Resumo

Objetivou-se conhecer a percepção de puérperas atendidas em uma maternidade pública do Nordeste Brasileiro quanto ao parto humanizado. Estudo qualitativo realizado entre abril e maio de 2019, por meio de entrevista, com 16 puérperas internadas em unidade hospitalar que tiveram parto normal. Utilizou-se a análise de conteúdo de Bardin e emergiram quatro categorias: Compreensão das puérperas quanto ao parto humanizado; Momento de parir; Assistência recebida pelos profissionais e Apoio ao nascimento: importância do acompanhante. A humanização do parto é um tema que ainda precisa ser esclarecido entre as gestantes, e o parto configura-se como um momento de dor e satisfação ao ver o filho. A assistência recebida durante o trabalho de parto e parto foi descrita como acolhedora, porém, ainda prevalecem práticas que devem ser desencorajadas. A presença do acompanhante é essencial, bem como a capacitação dos profissionais sobre o tema da humanização do parto.

Descritores: Parto humanizado, Assistência, Emoções.

 

Perceptions of people about humanized normal child care

Abstract: The objective was to know the perception of puerperal women attended in a public maternity hospital in Northeastern Brazil regarding humanized delivery.  Qualitative study conducted between April and May 2019, through an interview, with 16 puerperal women hospitalized in a hospital unit who had normal delivery. Bardin's content analysis was used and four categories emerged: Understanding the puerperal women regarding humanized delivery; Time to give birth; Assistance received by professionals and Support at birth: importance of the companion. The humanization of childbirth is a theme that still needs to be clarified among pregnant women, and childbirth is a moment of pain and satisfaction when seeing the child. The care received during labor and delivery was described as welcoming, but practices still prevail that should be discouraged. The presence of the companion is essential, as well as the training of professionals on the theme of humanization of childbirth.

Descriptors: Humanizing Delivery, Care, Emotions.

 

Percepciones de las personas sobre el cuidado niño normal humanizado

Resumen: El objetivo era conocer la percepción de las mujeres puerperales atendidas en un hospital público de maternidad en el noreste de Brasil con respecto al parto humanizado.  Estudio cualitativo realizado entre abril y mayo de 2019, a través de una entrevista, con 16 mujeres puerperales ingresadas en una unidad hospitalaria que tuvieron un parto normal. Se utilizó el análisis de contenido de Bardin y surgieron cuatro categorías: comprensión de las mujeres puerperales con respecto al parto humanizado; Momento de dar a luz; Asistencia recibida por profesionales y atención al parto: importancia de la acompañante. La humanización del parto es un tema que aún debe aclararse entre las mujeres embarazadas, y el parto se configura como un momento de dolor y satisfacción al ver al niño. La asistencia recibida durante el parto y el parto se describió como bienvenida, sin embargo, las prácticas que deberían desalentarse aún prevalecen. la presencia de una acompañante es esencial, así como la capacitación de profesionales sobre el tema de la humanización del parto.

Descriptores: Parto humanizado, Assistencia, Emociones.

Texto completo:

PDF

Referências

Ministério da Saúde (BR), Universidade Estadual do Ceará. Humanização do parto e do nascimento. Cadernos Humanizasus. Brasília: Ministério da Saúde. 2014. Disponível em: . Acesso em 13 abr 2020.

Morais JMO, Paz BSN, Bezerra SMM. Parto humanizado sob a ótica de puérperas atendidas em uma maternidade pública. Rev Enferm UFPE online. 2017; 11(supl.11):4625-4630.

Diniz, CSG, D’Orsi E, Domingues RMSM, Torres JA, Dias MAB, Schneck CA, et al. Implementação da presença de acompanhantes durante a internação para o parto: dados da pesquisa nacional Nascer no Brasil. Cad Saúde Pública. 2014; 30(Suppl 1):140-153.

Oliveira PCP, Simioni RL. Autonomia, liberdade e dependência da mulher: a política reducionista de cesarianas desnecessárias no Brasil e o biodireito. Juris - Rev Faculdade Direito. 2018; 18(1):67-90.

Possati AB, Prates LA, Cremonese L, Scarton J, Alves CN, Ressel LB. Humanization of childbirth: meanings and perceptions of nurses. Esc Anna Nery. 2017; 21(4):1-6.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. Diretrizes nacionais de assistência ao parto normal: versão resumida [recurso eletrônico]. Brasília: Ministério da Saúde. 2017. Disponível em: . Acesso em 10 mai 2020.

Fujita JALM, Shimo AKK. Parto humanizado: experiências no sistema único de saúde. Rev Mineira Enferm. 2014; 18(4):1006-1010.

Pedroso CNLS, López LC. À margem da humanização? Experiências de partos de usuárias de uma maternidade pública de Porto Alegre-RS. Rev Saúde Coletiva. 2017; 27(4):1163-1184.

Nascimento RRP, Arantes SL, Souza EDC, Contrera L, Sales APA. Escolha do tipo de parto: fatores relatados por puérperas. Rev Gaúcha Enferm. 2015; 36(spe):119-126.

Nascimento LCN, Souza TV, Oliveira ICS, Moraes JRMM, Aguiar RCB, Silva LF. Theoretical saturation in qualitative research: an experience report in interview with schoolchildren. Rev Bras Enferm. 2018; 71(1):243-248.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70. 2011.

Ministério da Saúde (BR), Conselho Nacional de Saúde. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Aprova diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Diário Oficial da União. Brasília, 12 dez. 2012. Disponível em: . Acesso em 15 abr 2020.

Siebra MA, Brito RC, Monteiro DMS, Monte NL. A dor do parto normal: significados atribuídos pelas puérperas usuárias do SUS. Rev Interdisciplinar. 2015; 8(2):86-93.

Silva IA, Silva PSF, Andrade EWOF, Morais FF, Silva RSS, Oliveira LS. Percepção das puérperas acerca da assistência de enfermagem no parto humanizado. Rev Uningá. 2017; 53(2):37-43.

Versiani CC, Barbieri M, Gabrielloni MC, Fustinoni SM. Significado de parto humanizado para gestantes. Rev Pesq: Cuidado Fund Online. 2015; 7(1):1927-1935.

Jardim MJA, Silva AA, Fonseca LMB. Contribuições do enfermeiro para o empoderamento da gestante no processo de parturição natural. VIII Jornada Internacional de Políticas Públicas, Universidade Federal do Maranhão. 2017; [s.1.]:1-12. Disponível em: . Acesso em 17 abr 2020.

Mazzetto FM, Prado JTO, Silva JCC, Siqueira, FPC, Marin MJC, Escames L, Kim CJS. Sala de espera: educação em saúde em um ambulatório de gestação de alto risco. Saúde Pesqui. 2020; 13(1):93-104.

Oliveira ALG, Nascimento SP, Sales PAP, Soares R, Moreira JP. Assistência do enfermeiro à parturiente: Foco no parto humanizado. Rev Trab Acadêm: Universo Campos dos Goytacazes. 2017; 1(8):1-18.

Oliveira LLF, Trezza MCSF, Santos AAP, Melo GC, Sanches METL, Pinto LMTR. As vivências de conforto e desconforto da mulher durante o trabalho de parto e parto. Rev Enferm UERJ. 2017; 25(e14203):1-5.

Apolinário D, Rabelo M, Wolff LDG, Suza RSRK, Leal GCG. Práticas na atenção ao parto e nascimento sob a perspectiva das puérperas. Rev Rene. 2016; 17(1):20-28.

Vieira SM, Bock LF, Zocche DA, Pessota CU. Percepção de puérperas sobre a assistência à saúde em um centro de parto normal. Rev Enferm UFSM. 2015; 5(3):521-530.

Rocha FAA, Fontenele FMC, Carvalho IR, Rodrigues IDCV, Sousa RA, Ferreira Júnior AR. Cuidado no parto e nascimento: percepção de puérperas. Rev Rene. 2015; 16(6):782-789.

Aragão HT, Vieira SS, Fernandes ETS, Silva GM. Trabalho de parto e os métodos não farmacológicos para alívio da dor: revisão integrativa. International Nursing Congress. Theme: Good practices of nursing representations in the construction of society. Universidade Tiradentes. 2017; 1-5, 2017. Disponível em: . Acesso em 10 mai 2020.

Dias EG, Ferreira ARM, Martins AMC, Jesus MM, Alves JCS. Eficiência de métodos não farmacológicos para alívio da dor no trabalho de parto normal, 2018. Rev Enferm Foco. 2018; 9(2):35-39.

Barros FRB, Accioly LM, Freitas WFM, Andrade LL, Silva BKC, Araújo RO. Percepção das Puérperas Manauaras frente à assistência de enfermagem no preparo do trabalho de parto e nascimento. Rev. Enferm. Foco. 2018; 9(1): 76-81.

Silva DF, Peres LC, Araújo NCS. Conhecimento das gestantes sobre as posições do parto. Revista de Enfermagem da FACIPLAC. 2018; 1(1):1-9.

Niy DY, Oliveira VC, Oliveira LR, Alonso BD, Diniz CSG. Overcoming the culture of physical immobilization of birthing women in Brazilian healthcare system? Findings of an intervention study in São Paulo, Brazil. Interface. 2019; 23(180074):1-16.

Santos ECP, Lima MR, Conceicao LL, Tavares CS, Guimaraes AMAN.

Conhecimento e aplicação do direito do acompanhante na gestação e parto. Revista Enfermagem em Foco. 2016; 7(3-4):61-65.

Santos ALS, Oliveira ARS, Amorim T, Silva UL. O acompanhante no trabalho de parto sob a perspectiva da puérpera. Rev Enferm da UFSM. 2015; 5(3):531-540.

Batista BD, Bruggemann OM, Junges CF, Velho MB, Costa R. Fatores associados à satisfação do acompanhante com o cuidado prestado à parturiente. Cogitare Enferm. 2017; 22(3):1-9.


Visualizações do PDF:

5 views


Visualizações do Resumo:

14 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud