Cuidado integral: contribuições da análise existencial para formação do enfermeiro

Anna Rebeka Oliveira Ferreira, Noely Cibeli dos Santos

Resumo

Esta pesquisa propõe-se a analisar a opinião do aluno de Enfermagem sobre as contribuições da Análise Existencial na sua formação. Estudo de caráter qualitativo, realizado com discentes do curso de Enfermagem do segundo ao oitavo período. A coleta de dados foi realizada através de entrevistas por meio do Grupo Focal, e para análise foi escolhido a técnica de análise de conteúdo de acordo com Bardin, que revelou 76 Unidades de Significado, oito Categorias temáticas que formaram duas Unidades Temáticas Centrais. A Análise Existencial pode contribuir para a formação humana, pois traz uma fundamentação que permite uma vivência real da humanização do cuidar, possibilitando sair do discurso para uma reflexão do seu sentido, além de possibilitar uma melhor compreensão do cuidado integral, de forma que estes passam a influenciar os outros a praticarem esse cuidado na assistência mesmo em situações não favoráveis.

Descritores: Estudantes de Enfermagem, Humanização da Assistência, Capacitação Profissional.

 

Integral care: contributions of existential analysis for the nurse’s formation

Abstract: This research aims to analyze the student's opinion of the nursing on the contributions of Existential Analysis in its formation. Qualitative study, carried out with students of the nursing course from the second to the eighth period of the college. Data collection was done through interviews through the Focal Group, for content analysis, according to Bardin. The analysis revealed 76 Units of Meaning, 8 Thematic Categories that formed 2 Central Thematic Units. The Existential Analysis can contribute to human formation, as it brings a foundation that allows reflection on a real experience of the humanization of care, making it possible to leave the discourse for a reflection of their sense of life, in addition to enabling a better understanding of comprehensive care, so that they start to influence others to use this care in care, even in an unfavorable situations.

Descriptors: Nursing Students, Humanization of Care, Professional Training.

 

Atencíon integral: contribuciones del análisis existencial para formación del enfermero

Resumen: Esta investigación tiene como objetivo analizar la opinión del alumno de Enfermería sobre las contribuciones de la analisis existencial en su formación. Estudio de carácter cualitativo, realizado con estudiantes de enfermería del segundo al octavo período. La recolección de datos se realizó a través de entrevistas por medio del Grupo de enfoque, y para el análisis fue escogida la técnica de análisis de contenido de acuerdo con Bardin, que reveló 76 Unidades de significado, ocho Categorías temáticas que formaron 2 Unidades temáticas centrales. La análisis existencial pueden contribuir a la formación humana, ya que aporta una base que permite la experiencia real de la humanización del cuidar, lo que permite salir del discurso para una reflexión del sentido de la vida, además de permitir una mejor comprensión de atención integral, de forma que estos comiencen a influenciar a los otros a utilizar esa atención en  cuidado, incluso en situaciones desfavorables.

Descriptores: Estudiantes de Enfermería, Humanización de la Asistencia, Formación Profesional.

Texto completo:

PDF

Referências

Castro M, Pereira WR. Cuidado integral: concepções e práticas de docentes de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2011; 64(3):486-493.

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Atenção à Saúde. Política nacional de humanização. Brasília: Ministério da Saúde. 2010; 256.

Conselho Nacional de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Enfermagem. Diário Oficial da União. Resolução CNE/CES 3/2001 4 parágrafo, Art. 3, 7 de novembro 2001.

Araujo AC, Sanna MC. O ensino das ciências humanas e sociais na formação das primeiras enfermeiras cariocas e paulistanas. Rev Bras Enferm. 2011; 64(6):1106-1113.

Araujo AC, Sanna MC. Ciências Humanas e Sociais na Formação do Enfermeiro Brasileiro: um estudo bibliométrico. Rev Pesq Cuidado Fund. 2010; 2(3):636-640.

Frankl, VE. Em busca de sentido: um psicólogo no campo de concentração. 3 ed. São Paulo: Vozes. 2008.

Frankl VE. A vontade de sentido: fundamentos e aplicações da logoteoria. 1 ed. São Paulo: Paulus. 2011.

Glynis MB, et al. Métodos de pesquisa em psicologia. 3 ed. Porto Alegre: Artmed. 2010.

Barbour R. Grupos focais: coleção pesquisa qualitativa. 1 ed. Porto Alegre: Bookman. 2009.

Bardin L. Análise de conteúdo. 1 ed. Lisboa: Almedina. 2011.

Camillo SO, Silva AL, Nascimento AJ. Percepções do graduando de enfermagem sobre a dimensão humana no seu aprendizado. Rev Latino Am Enferm. 2007; 15(2):207-213.

Sulbach N. Resgate da dignidade pessoal: uma experiência religiosa [especialização] - Associação de Logoterapia Viktor Emil Frankl, Curitiba. 2008.

Deslandes SF. Análise do discurso oficial sobre a humanização da assistência hospitalar. Rev Ciênc Saúde Coletiva. 2004; 9(1):7-14.

Matsuda LM, Silva N, Tisolin AM. Humanização da assistência de enfermagem: estudo com clientes no período pós-internação de uma UTI-adulto. Rev Acta Scientiarum. 2003; 25(2):163-170.

Finkler M, Caetano, JC, Ramos FRS. Ética e valores na formação profissional em saúde: um estudo de caso. Rev Ciênc Saúde Coletiva. 2013; 18(10):3033-3042.

Moreno LR, Pittamiglio SEL, Furusato MA. Lista de discussão como estratégia de ensino-aprendizagem na pós-graduação em Saúde. Botucatu: Rev Interface. 2008; 12(27):883-892.

Potter P. Fundamentos de Enfermagem. 8 ed. Rio de Janeiro: Elsevier. 2009.

Batista OS. A espiritualidade na prática do cuidar do usuário do Programa Saúde da Família, com ênfase na educação popular em saúde. Rev APS. 2007; 10(1):74-80.

Frankl VE. Um sentido para a vida: psicoterapia e humanismo. 11 ed. São Paulo: Ideias e Letras. 2014.

Frankl VE. O sofrimento de uma vida sem sentido: caminhos para encontrar a razão de viver. 1 ed. São Paulo: É realizações. 2015.

Xausa IAM, A psicologia do sentido da vida. 2 ed. São Paulo: Vide. 2013.

Beserra FM, Alves AS, Moreira MD, Alencar BP. Significado do trabalho dos profissionais de enfermagem no hospital geral. Rev Avances Enferm. 2010; 28(2):31-39.

Vasconcelos EM. Empoderamento de usuários e familiares em saúde mental e em pesquisa avaliativa/interpretativa: uma breve comparação entre a tradição anglo-saxônica e a experiência brasileira. Rev Ciênc Saúde Coletiva. 2013; 18(10):2825-2835.

Baracho VS, et al. Visão dos clientes externos sobre a satisfação dos serviços de enfermagem hospitalar: abordagem interpessoal. Rev Eletr Gestão Saúde. 2016; 7(2):608-622.


Visualizações do PDF:

7 views


Visualizações do Resumo:

22 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud