Planejamento regional em saúde da política pública em HIV/AIDS

Sâmara Fontes Fernandes, Themis Cristina Mesquita Soares, Antonia Gomes de Almeida Neta, José Giovani Nobre Gomes, Lucas Batista Ferreira, Richardson Augusto Rosendo da Silva

Resumo

A pesquisa objetivou analisar o processo planejamento regional da Política pública de HIV/AIDS em uma Região de Saúde do nordeste do Brasil. Este trabalho consistiu em uma pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa, realizada com gestores de 13 municípios de uma região de saúde do nordeste brasileiro. Como instrumento de coleta de dados foi utilizado um questionário adaptado de acordo Dantas, contendo 05 questões abertas, analisado a partir de análise de conteúdo de Bardin. Contemplou-se quatro domínios de discussão: 1 - Conhecimento da realidade sanitária, 2 - Serviço de Assistência Especializada, 3 - Qualidade da assistência e, 4 - Planejamento regional. Os gestores referiram conhecer as pessoas vivendo com HIV/AIDS de seu território e afirmaram não realizar o planejamento da PN-IST/AIDS. Identificou-se que a assistência às pessoas com HIV/AIDS não é priorizada como necessidade da região e que seu planejamento não ocorre.

Descritores: Planejamento em Saúde, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, Política de Saúde, Gestão em Saúde.

 

Regional planning in public policy health in HIV/AIDS

Abstract: The research aimed to analyze the regional planning process of the Public HIV/AIDS Policy in a Health Region of northeastern Brazil.This work consisted of a descriptive research, with a qualitative approach, conducted with managers from 13 municipalities in a health region in northeastern Brazil. A questionnaire adapted according to Dantas was used as a data collection instrument, containing 05 open questions, analyzed from Bardin's content analysis. Four areas of discussion were contemplated: 1 - Knowledge of the health reality, 2 - Specialized Care Service, 3 - Quality of care and, 4 - Regional planning. The managers reported knowing the people living with HIV/AIDS in their territory and stated that they did not carry out the planning of the PN-IST/AIDS. It was identified that care for people with HIV/AIDS is not prioritized as the need of the region and that its planning does not occur.

Descriptors: Health Planning, Acquired Immunodeficiency Syndrome, Health Policy, Healthcare Managemen.

 

Planificación regional en la salud de la política pública en el HIV/SIDA

Resumen: La investigación tuvo como objetivo analizar el proceso de planificación regional de la Política Pública de HIV/SIDA en una Región de Salud del Noreste de Brasil. Este trabajo consistió en una investigación descriptiva, con un enfoque cualitativo, realizada con gerentes de 13 municipios en una región de salud en el noreste brasileño. Como instrumento de colecta de datos, se utilizó un cuestionario adaptado, según Dantas, lo cual contenía 05 preguntas abiertas, analizadas a partir del análisis de contenido de Bardin. Se contemplaron cuatro áreas de discusión: 1 - Conocimiento de la realidad de la salud, 2 - Servicio de Atención Especializada, 3 - Calidad de la atención y, 4 - Planificación regional. Los gerentes informaron haber conocido a las personas que viven con el VIH/SIDA en su territorio y declararon que no planeaban el PN-ST/SIDA. Se identificó que la atención a las personas con VIH/SIDA no se prioriza como la necesidad de la región y que su planificación no ocurre.

Descriptores: Planificación de la Salud, Síndrome de Inmunodeficiencia Adquirida, Política de Salud, Gestión en Salud.

Texto completo:

PDF

Referências

Silva GM, Silva JM. (2019). Políticas públicas de saúde no meio rural: Uma Abordagem Geográfica. Rev. Episteme Transversalis. 2019; 10(1):173-184.

Oliveira RADD, Duarte CMR, Pavão ALB, Viacava F. Barreiras de acesso aos serviços em cinco Regiões de Saúde do Brasil: percepção de gestores e profissionais do Sistema Único de Saúde. Cadernos de Saúde Pública. 2019; 35(11):e00120718.

Lima LDD, Albuquerque MVD, Scatena JHG, Melo ECPD, Oliveira EXGD, Carvalho MS et al. Arranjos regionais de governança do Sistema Único de Saúde: diversidade de prestadores e desigualdade espacial na provisão de serviços. Cadernos de Saúde Pública. 2019; 35(2):e00094618.

Fonseca EM, Bastos FI. Evolution of HIV/AIDS response in Brazil: Policy innovations and challenges in the fourth decade of the epidemic. Int J Health Plann Mgmt. 2017; 1-13.

Ravanholi GM, Catoia EA, Andrade RLDP, Lopes LM, Brunello MEF, Bollela VR et al. Pessoas vivendo com HIV/Aids no cárcere: regularidade no uso da terapia antirretroviral. Acta Paulista de Enfermagem. 2019; 32(5):521-529.

Nunes M, Vidal S. (2019). Os diversos aspectos da integralidade em saúde. Revista de Medicina de Família e Saúde Mental. 2019; 1(1):201-209.

Agostini R, Rocha F, Melo E, Maksud I. A resposta brasileira à epidemia de HIV/AIDS em tempos de crise. Ciênc. saúde coletiva. 2019; 24(12):4599-4604.

Barros SG, Silva, LMV. A terapia antirretroviral combinada, a política de controle da Aids e as transformações do Espaço Aids no Brasil dos anos 1990. Saúde em Debate. 2017; 41(3):114-128.

Silva ITS, Lima DM, Santos WN, Costa Santos RS, Menezes HF, Silva RAR. Análise da operacionalização da testagem rápida para o HIV realizada pelo enfermeiro. Rev Recien. 2020; 10(29):100-111.

Calazans GJ, Pinheiro TF, Ayres JRCM. Vulnerabilidade programática e cuidado público: Panorama das políticas de prevenção do HIV e da Aids voltadas para gays e outros HSH no Brasil. Rio de Janeiro: Sex Salud Soc. 2018; 29:263-93.

Greco DB. Trinta anos de enfrentamento à epidemia da Aids no Brasil, 1985-2015. Ciência e Saúde Coletiva. 2016; 21(05):1553-1564.

Brasil. Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico - AIDS e DST. Brasília: 2019.

Dantas AMG. Avaliação da qualidade do Serviço De Assistência Especializada em HIV/Aids (SAE) no município de Barra do Garças, MT [Dissertação]. Rio de Janeiro: Fundação Oswaldo Cruz; 2012.

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70. 2011; 229.

Chiavegato VO. Diálogos e percepções dos gestores municipais de saúde sobre as ferramentas de planejamento no SUS [Dissertação]. Piracicaba: Universidade Estadual de Campinas; 2019.

Casanova AO et al. A implementação de redes de atenção e os desafios da governança regional em saúde na Amazônia Legal: uma análise do Projeto QualiSUS-Rede. Ciência & Saúde Coletiva. 2017; 22(4):1209-1224.

Santos LA, Torres AE, Ferreira MG. Planejamento estratégico: instrumento transformador do processo de trabalho em saúde. Revista Laborativa. 2019; 8(1):57-81.

Ferreira BDO, Pereira EO, Rocha MBD, Nascimento EFD, Albuquerque ARDS, Almeira MM et al.“Não tem essas pessoas especiais na minha área”: saúde e invisibilidade das populações LGBT na perspectiva de agentes comunitários de saúde. Reciis – Rev Eletron Comun Inf Inov Saúde. 2019; 13(3):496-508.

Porto TSAR, Silva CM, Vargens OMC. Female healthcare professionals' behaviour and attitudes in the context of the feminisation of HIV/AIDS: gender vulnerability analysis. AIDS Care. 2017; 29(1):49-55.

Gomes HN, Macena RHM, Arruda GMMS, Paula AKCB. (2019). Análise do atendimento nos serviços de saúde entre pessoas vivendo com HIV/AIDS. Journal of Health & Biological Sciences. 2019; 7(4):387-394.

Monken B, Bercellos CO. Território na Promoção e Vigilância em Saúde. In: Fonseca AF, Cobro AD. O território e o processo saúde-doença. Rio de Janeiro: EPSJV/Fiocruz; 2007; 177-224.

Varela R, Achutti CF, Guaranha C, Quevedo ALA, Lopes EC. Sistema de Monitoramento Estratégico para a Gestão em Saúde. Journal of Health Informatics. 2019; 11(2):60-63.

Martins ETP, Ferreira MCSM, de Oliveira JAMG, dos Santos VM, Costa AFP. (2020). A integralidade da assistência a pacientes com HIV em ambulatório especializado de Alagoas. Revista de Medicina e Saúde de Brasília. 2019; 8(3):308-315

Junges JR, Barbiani R, Zoboli ELCP. Planejamento Estratégico como exigência ética para a equipe e a gestão local da Atenção Básica em Saúde. Interface. 2015; 19(53):265-274.

Pereira BS, Tomasi E. Instrumento de apoio à gestão regional de saúde para monitoramento de indicadores de saúde. Epidemiol. Serv. de Saúde. 2016; 25(2):411-418.

Mello J, Ribeiro VM, Lotta G, Bonamino A, Carvalho CP. Implementação de políticas e gestores públicos. In: Massuda A, Campos GWS. Inovações nas práticas de gestão do SUS: desafios para reduzir desigualdades em saúde. Brasília: IPEA. 2020; 73-95.


Visualizações do PDF:

6 views


Visualizações do Resumo:

106 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud