Equipamentos médicos assistenciais na terapia intensiva: percepção do familiar

Cláudia Ferreira da Fonseca, Vanessa Galdino de Paula, Luana Ferreira de Almeida, Raquel de Mendonça Nepomuceno, Danielle de Mendonça Henrique, Andrezza Serpa Franco

Resumo

Descrever a percepção dos familiares em relação aos equipamentos médicos assistenciais em uma UTI geral adulto. Estudo descritivo, exploratório, abordagem qualitativa, realizado em uma unidade de terapia intensiva adulto, localizada no Estado do Rio de Janeiro. A coleta de dados ocorreu no período de julho a agosto de 2018. Participaram 20 familiares, que responderam uma entrevista com perguntas abertas e fechadas, os dados foram analisados segundo a análise de conteúdo de Bardin. Os conteúdos foram agrupados por semelhança, originando 95 unidades de registro, nove subcategorias e três categorias: “A essencialidade dos equipamentos médicos assistenciais como parte da assistência na UTI”, “Sentimentos negativos expressos pelos familiares” e “Necessidade de esclarecimentos sobre a utilização dos equipamentos médicos assistenciais”. Os resultados podem estimular mais profissionais a investigar as relações em outras UTI, a partir da vivência de pacientes, equipe e família, e busquem o acolhimento de todos nesse ambiente.

Descritores: Unidades de Terapia Intensiva; Relações Profissional-Família; Equipamentos e Provisões Elétricas.

 

Assistance medical equipment in the intensive care: family's perception

Abstract: Describe the perception of family members in relation to medical assistance equipment in a general adult ICU. A descriptive, exploratory study, qualitative approach, carried out in an adult intensive care unit, located in the State of Rio de Janeiro. Data collection took place from July to August 2018. 20 family members participated, who answered an interview with open and closed questions, the data were analyzed according to Bardin's content analysis. The contents were grouped by similarity, giving rise to 95 registration units, nine subcategories, and three categories: “The essentiality of medical assistance equipment as part of ICU assistance”, “Negative feelings expressed by family members” and “Need for clarification on the use of medical assistance equipment”. The results can encourage more professionals to investigate relationships in other ICUs, based on the experience of patients, staff, and family, and seek to welcome everyone in this environment.

Descriptors: Intensive Care Units, Professional-Family Relations, Electrical Equipment and Supplies.

 

Equipo médico de asistencia en la unidad de atención: percepción de la familia

Resumen: Describir la percepción de los miembros de la familia en relación con el equipo de asistencia médica en una UCI de adultos en general. Estudio descriptivo, exploratorio, abordaje cualitativo, realizado en una unidad de cuidados intensivos para adultos, ubicada en el estado de Río de Janeiro. La recolección de datos tuvo lugar de julio a agosto de 2018. Participaron 20 miembros de la familia, quienes respondieron una entrevista con preguntas abiertas y cerradas, los datos se analizaron de acuerdo con el análisis de contenido de Bardin. Los contenidos se agruparon por similitud, dando lugar a 95 unidades de registro, nueve subcategorías y tres categorías: "La esencialidad del equipo de asistencia médica como parte de la asistencia de la UCI", "Sentimientos negativos expresados por los miembros de la familia" y "Necesidad de aclaración sobre el uso de equipo de asistencia médica ". Los resultados pueden alentar a más profesionales a investigar las relaciones en otras UCI, basándose en la experiencia de los pacientes, el personal y la familia, y buscar dar la bienvenida a todos en este entorno.

Descriptores: Unidades de Cuidados Intensivos, Electrical Equipment y Supplies, Equipos y Suministros Eléctricos.

Texto completo:

PDF

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada N°7. Requisitos mínimos para o funcionamento de Unidades de Terapia Intensiva. Brasília. 2010.

Tomás SMC, Santiago LMM, Andrade AP, Moraes KM, Cavalcante ASP, Maciel GP. Internação em Unidade de Terapia Intensiva: percepções de familiares de pessoas gravemente enfermas. Brasília: Tempus, Actas Saúde Colet. 2018; 11(2):239-251.

Brasil. Ministério da Saúde. Programa Nacional de Humanização da Assistência Hospitalar. Brasília: 2003.

Knobel E. Condutas no paciente grave. 4 ed. São Paulo: Editora Atheneu. 2016.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Acolhimento nas práticas de produção de saúde. 2a ed. Brasília. 2006.

Eugênio CS, Beck Filho MC, Souza EN. Visita aberta em uti adulto: utopia ou realidade? Rev Enferm UFSM. 2017; 7(3):539-549.

Bardin, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70. 2011.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisa envolvendo seres humanos. Resolução n. 466, de 12 de dezembro de 2012. Brasília. 2012.

Hartmann SP, Faria LJF, Teixeira C, Santos CS, Maurer TC, Silva DB et al. A diferença entre sexos nos horários flexíveis de visitação na unidade de terapia intensiva. Rev Bras Ter Intensiva. 2019; 31(4):592-593.

Neves L, Gondim AA, Soares SCMR, Coelho DP, Pinheiro JAM. O impacto do processo de hospitalização para o acompanhante familiar do paciente crítico crônico internado em unidade de terapia semi-intensiva. Esc Anna Nery. 2018; 22(2):e20170304.

Nunes MEP; Gabarra L M. Percepção de familiares sobre visitas a pacientes e regras em unidade de terapia intensiva. Arq Ciênc Saúde. 2017; 24(3):84-88.

Souza KA, Paula VG, Bridi AC, Camerini FG, Franco AS, Pereira BSL. Condutas dos profissionais de enfermagem frente aos alarmes dos ventiladores mecânicos em uma unidade de terapia intensiva. Rev Enferm Centro-Oeste Mineiro. 2018; 8:e2678.

Oliveira AEC, Machado AB, Santos ED, Almeida EB. Fadiga de alarmes e as implicações para segurança do paciente. Rev Bras Enferm. 2018; 71(6):3035-3040.

Neves JL, Schwartz E, Guanilo MEE, Amestoy SC, Mendieta MC, Lise F. Avaliação da satisfação de familiares de pacientes atendidos em unidades de terapia intensiva: revisão integrativa. Texto Contexto Enferm. 2018; 27(2):e1800016.

Pereira PS, Paula LLRJP. UTI: análise da experiência da família e do paciente. Rev Saúde Foco. 2018; 10:269-273.

Patient Engagement: Technical Series on Safer Primary Care. Geneva: World Health Organization. 2016. Disponível em: .


Visualizações do PDF:

8 views


Visualizações do Resumo:

26 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud