Análise da eficácia do método canguru: recém-nascido de baixo peso

Suênia Alves Vieira, Natalia de Araújo e Santos, Antônia Reis da Silva, Douglas Pereira de Souza

Resumo

Estudo retrospectivo e descritivo, com abordagem e análise quantitativa, que objetivou analisar a eficácia do Método Canguru no atendimento ao recém-nascido de baixo peso. Foram analisados na investigação sete prontuários de recém-nascido de baixo peso atendidos pelo método, enquadrados no critério: atendimentos ocorridos a recém-nascido de baixo peso no Método Canguru de janeiro de 2017 a janeiro de 2019. A coleta de dados ocorreu no mês de outubro de 2019, por meio do instrumento adaptado do Guia de Avaliadores Externos. Para tabulação e análise estatística, os dados foram digitados em planilha do programa Excel e analisados segundo estatística descritiva. Os resultados revelaram que o Método Canguru mostrou-se eficaz ao permitir a verificação do tipo de aleitamento, a descrição das vantagens decorrentes de sua aplicação e principalmente a caracterização do vínculo mãe-filho.

Descritores: Vínculos Emocionais, Aleitamento Materno, Benefícios.

 

Kanguru method effectiveness analysis: low weight newborn

Abstract: Retrospective and descriptive study, with approach and quantitative analysis, which aimed to analyze the effectiveness of the Kangaroo Method in the care of low birth weight newborns. We analyzed seven medical records of low birth weight infants treated by the method, according to the criterion: attendance to low birth weight infants in the Kangaroo Method from january 2017 to january 2019. Data collection occurred in the month of october 2019, through the adapted instrument of the Guide for External Evaluators. For tabulation and statistical analysis, data were entered into an Excel spreadsheet and analyzed according to descriptive statistics. The results revealed that the Kangaroo Method was effective in allowing the verification of the type of breastfeeding, the description of the advantages arising from its application and especially the characterization of the mother-child bond.

Descriptors: Emotional Bonds, Breast Feeding, Benefits.

 

Método de kanguru análisis de efectividad: recién nacido de bajo peso

Resumen: Estudio retrospectivo y descriptivo, con enfoque y análisis cuantitativo, cuyo objetivo fue analizar la efectividad del Método Canguro en el cuidado de recién nacidos con bajo peso al nacer. Analizamos siete registros médicos de bebés con bajo peso al nacer tratados por el método, de acuerdo con el criterio: asistencia a bebés con bajo peso al nacer en el Método Canguro desde enero de 2017 hasta enero de 2019. La recopilación de datos se produjo en el mes de octubre de 2019, a través del instrumento adaptado de la Guía para Evaluadores Externos. Para la tabulación y el análisis estadístico, los datos se ingresaron en una hoja de cálculo de Excel y se analizaron de acuerdo con estadísticas descriptivas. Los resultados revelaron que el Método Canguro fue efectivo al permitir la verificación del tipo de lactancia materna, la descripción de las ventajas derivadas de su aplicación y especialmente la caracterización del vínculo madre-hijo.

Descriptores: Vínculos Emocionales, Lactancia Materna, Beneficios.

Texto completo:

PDF

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso: método canguru: manual técnico. Brasília: Ministério da Saúde. 2013; 2ª ed., módulo 1, p.11-18. Disponível em: . Acesso em 16 out 2019.

Stelmak AP, Freire MHS. Aplicabilidade das ações preconizadas pelo método canguru. Rio de Janeiro: Rev Pesq: Cuidado é Fund Online. 2017; 9(3):795-802.

Medeiros AMC, Ramos BKB, Bomfim DLSS, Alvelosm CL, Silva TC, Barreto IDC, et al. Tempo de transição alimentar na técnica sonda-peito em recém-nascidos baixo peso do método canguru. São Paulo: Rev CoDAS. 2018; 30(2):e20170092.

Nunes NP, Pessoa UML, Bucharles DG, Alverne M, Sá FE, Carvalho EM. Método canguru: percepção materna acerca da vivência na unidade de terapia intensiva neonatal. Fortaleza: Rev Bras Promoç Saúde. 2015; 28(3):387-393.

Rolim KMC, Santos MSN, Magalhaes FJ, Albuquerque FHS, Frota MA, Fernandes HIVM, et al. A relevância do método mãe-canguru na formação do vínculo afetivo: percepção paterna. Fortaleza: Atas CIAIQ. 2018; 2(7):1437-1445.

Ely VHMB, Cavalcanti PB, Silviera JTT, Klein MF, Junior AS. Atributos ambientais desejáveis a uma unidade de alojamento conjunto método canguru a partir de uma experiência de projeto participativo. Porto Alegre: Ambiente Construído. 2017; 17(2):119-134.

Santos MH, Filho FMA. Benefícios do método mãe canguru em recém-nascido pré-termo ou baixo peso: uma revisão da literatura. Brasília: Universitas: Ciênc Saúde. 2016; 14(1):67-76.

Sales IMM, Santos JDM, Rocha SS, Gouveia MTO, Carvalho NAR. Contribuições da equipe enfermagem na segunda etapa do método canguru: implicações para a alta hospitalar do recém-nascidoa. Rio de Janeiro: Esc Anna Nery. 2018; 22(4):220180149.

Brasil, Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso: método canguru: manual técnico. Brasília: Ministério da Saúde. 2017; 3ª ed., módulo 1, p.11-28. Disponível em: . Acesso em 20 fev 2018.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Nº 1.683, de 12 de Julho de 2007. Altera a Portaria nº 693 de 5 de julho de 2000, que aprova a Norma de Orientação para a Implantação do Método Canguru. nº 129-E. Diário Oficial da União; Brasília (DF): 6 de julho de 2000. Seção 1, p.15. Disponível em: . Acesso em 09 de mar 2019.

Oliveira MC, Locks MOH, Girondi JBR, Costa R. Método canguru: percepções das mães que vivenciam a segunda etapa. Rio de Janeiro: Rev Pesq: Cuidado é Fund Online. 2015; 7(3):2939-2948.

Zirpoli DB, Mendes RB, Barreiro MSC, Reis TS, Menezes AF. Benefícios do método canguru: uma revisão integrativa. Rio de Janeiro: Rev Pesq: Cuidado é Fund Online. 2019; 11(n. esp):547-554.

Gesteira ECR, Braga PP, Nagata M, Santos LFC, Hobl C, Ribeiro BG. Método canguru: benefícios e desafios experienciados por profissionais de saúde. Santa Maria: Rev Enferm UFSM. 2016; 6(4):518-528.

Brasil, Ministério da Saúde, Secretária de Políticas de Saúde, Área Técnica da Saúde da Criança. Atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso – Método Canguru: Guia de avaliadores externos. Brasília: Ministério da Saúde. 2002; 1ª ed., módulo 9, p.19-49. Disponível em: . Acesso em 09 mar 2019.

Brasil. Ministério da Saúde. Resolução Nº 466, de 12 de Dezembro de 2012. nº 12. Diário Oficial da União; Brasília (DF): 13 de junho de 2013. Seção 1, p.59. Disponível em: . Acesso em 25 mar 2019.

Farias SR, Dias FSB, Silva JB, Cellere ALLR, Beraldo L, Carmona EV. Posição canguru em recém-nascidos pré-termo de muito baixo peso: estudo descritivo. Goiânia: Rev Eletr Enferm. 2017; 19:a15.

Dantas JM, Leite HC, Querido DL, Esteves APVS, Almeida VS, Haase MMMC, et al. Percepção das mães sobre a aplicabilidade do método canguru. Recife: Rev Enferm UFPE. 2018; 12(11):2944-51.

Melo AM, Martins TGS, Santos TL, Silva AS, Santos NNS. Perfil alimentar e desenvolvimento motor oral dos neonatos nascidos com baixo peso. São Paulo: Rev CEFAC. 2016; 18(1)86-94.

Heck GMM, Lucca HC, Costa R, Junges CF, Santos SV, Borck M. Compreensão do sentimento materno na vivência no método canguru. Santa Maria: Rev Enferm UFSM. 2016; 6(1):71-83.

Nunes CRN, Campos LG, Lucena AM, Pereira JM, Costa PR, Lima FAF, et al. Relação da duração da posição canguru e interação mãe-filho pré-termo na alta hospitalar. São Paulo: Rev Paul Pediatria. 2017; 35(2):136-143.

Souza JR, Ribeiro LM, Vieira GB, Guarda LEDA, Leon CGRMP, Schardosim JM. Método canguru na perspectiva dos profissionais de saúde de uma unidade de neonatalogia. Brasília: Enferm Foco. 2019; 10(2):30-35.

Bilotti CC, Gomes ES, Bianchi AB, Bolsoni LLM, Santos SMA, Bernuci MP. Método mãe canguru para recém-nascidos de baixo peso: revisão da literatura. Maringá: Rev Saúde Pesq. 2016; 9(3):587-595.

Lopes TRG, Oliveira SS, Pereira IRBO, Romeiro IMM, Carvalho JBL. Humanização dos cuidados ao recém-nascido no método canguru: relato de experiência. Recife: Rev Enferm UFPE. 2017; 11(11):4492-7.

Defilipo EC, Chagas PSC, Nogueira CCL, Ananias GP, Silva AJ. Kangaroo position: Immediate effects on the physiological variables of preterm and low birth weight newborns. Curitiba: Fisiot Movimento. 2017; 30(Suppl 1):S219-27.

Lotto CR, Linhares MBM. Contato “pele a pele” na prevenção de dor em bebês prematuros: revisão sistemática da literatura. Ribeirão Preto: Temas em Psicologia. 2018; 26(4):1699-1713.


Visualizações do PDF:

61 views


Visualizações do Resumo:

49 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud