Humanização da assistência de enfermagem no perioperatório e o avanço tecnológico

Gilberlândio Pereira Oliveira, Bianca Alves Durães, Patrícia Kécia Lima Fernandes, Cássia Mendes Soares, Daniela de Freitas Pereira, Michele Aline de Almeida, Luiz Faustino dos Santos Maia

Resumo

Com o objetivo de analisar e descrever a importância da assistência humanizada em enfermagem e mostrar a relação avanço tecnológico e comunicação enfermeiro-paciente no processo de cuidar. No século XX, a partir da ocorrência de duas guerras mundiais gerou a descoberta de novas tecnologias. A comunicação é o meio pelo qual, pessoas interagem umas com as outras. Estudo de revisão de literatura tradicional, com bases em dados de artigos, indexados no LILACS e SCIELO, disponibilizados na íntegra e publicados entre 2003 a 2016, totalizando 20 referências. Na prática de enfermagem, o profissional está habilitado a desenvolver várias atividades, a sistematização da assistência de enfermagem perioperatória (SAEP) faz parte dessas atividades. Portanto a comunicação enfermeiro-paciente é designada com a finalidade de identificar e atender as necessidades de saúde do paciente e contribuir para melhorar a prática de enfermagem, ao criar conjunturas de aprendizagem e despertar nos pacientes sentimentos de confiança, proporcionando que eles se sintam satisfeitos e seguros. Contudo, a assistência humanizada é instrumento que favorece o processo de cuidar e organiza as condições para sua realização na enfermagem em perioperatório.

Descritores: Enfermagem, Humanização, Comunicação, Tecnologia.

 

Humanization of perioperative nursing care and technological advancement

Abstract: In order to analyze and describe the importance of humanized nursing care and show the relationship between technological advancement and nurse-patient communication in the care process. In the twentieth century, after the occurrence of two world wars, it generated the discovery of new technologies. Communication is the means by which people interact with each other. Traditional literature review study, based on article data, indexed in LILACS and SCIELO, made available in full and published between 2003 to 2016, totaling 20 references. In nursing practice, the professional is qualified to develop various activities, the systematization of perioperative nursing care (SAEP) is part of these activities. Therefore, nurse-patient communication is designed with the purpose of identifying and meeting the patient's health needs and contributing to improving nursing practice, by creating learning environments and awakening feelings of trust in patients, providing that they feel satisfied and insurance. However, humanized care is an instrument that favors the care process and organizes the conditions for its performance in nursing in the perioperative period.

Descriptors: Nursing, Humanization, Communication, Technology.

 

Humanización del cuidado de enfermería perioperatorio y avance tecnológico

Resumen: Con el fin de analizar y describir la importancia del cuidado de enfermería humanizado y mostrar la relación entre el avance tecnológico y la comunicación enfermera-paciente en el proceso asistencial. En el siglo XX, tras la ocurrencia de dos guerras mundiales, generó el descubrimiento de nuevas tecnologías. La comunicación es el medio por el cual las personas interactúan entre sí. Estudio de revisión de literatura tradicional, basado en datos de artículos, indexados en LILACS y SCIELO, disponible íntegramente y publicado entre 2003 a 2016, totalizando 20 referencias. En la práctica de la enfermería, el profesional está capacitado para desarrollar diversas actividades, la sistematización de los cuidados perioperatorios de enfermería (SAEP) forma parte de estas actividades. Por tanto, la comunicación enfermera-paciente está diseñada con el propósito de identificar y atender las necesidades de salud del paciente y contribuir a mejorar la práctica de la enfermería, mediante la creación de ambientes de aprendizaje y despertar sentimientos de confianza en el paciente, siempre que se sienta satisfecho y seguro. Sin embargo, el cuidado humanizado es un instrumento que favorece el proceso de cuidado y organiza las condiciones para su desempeño en enfermería en el período perioperatorio.

Descriptores: Enfermería, Humanización, Comunicación, Tecnología.

Texto completo:

PDF

Referências

Lorenzetti J, Trindade LL, Pires DEP, Ramos RFS. Tecnologia, inovação tecnológica e saúde: uma reflexão necessária. Florianópolis: Texto Contexto Enferm. 2012; 21(2):432-9.

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes Metodológicas: Avaliação de Desempenho de Tecnologias em Saúde. Brasília-DF. 2016. Disponível em. . Acesso em 17 jul 2016.

Ferreira GSG, Bicudo EJ, Carvalho DA, Posso MBS, Chagas LR. A Importância da Comunicação no Processo de Enfermagem: A Visão do Enfermeiro. XIII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e IX Encontro Latino Americano de Pós-Graduação. Universidade do Vale do Paraíba. 2009.

Oliveira OS, Nóbrega MML, Silva AT, Ferreira Silva MO. Comunicação terapêutica em enfermagem revelada nos depoimentos de pacientes internados em centros de terapia intensiva. Rev Eletr Enferm. 2005; 7(1):54-63.

Pontes AC, Leitão IMTA, Ramos IC. Comunicação terapêutica em Enfermagem: instrumento essencial do cuidado. Brasília: Rev Bras Enferm. 2008; 61(3):312-8.

Junior JCO, Lima IF. A percepção dos enfermeiros sobre comunicação terapêutica nas consultas de enfermagem em unidades de saúde da família. Enciclopédia Biosfera. Centro Científico Conhecer. 2014; 10(18):3392-3409.

Gala MF, Telles SCR, Silva MJP. Ocorrência e significado do toque entre profissionais de enfermagem e pacientes de uma UTI e unidade semi-intensiva cirúrgica. Rev Esc Enferm USP. 2003; 37(1):52-61.

Neves EP. As Dimensões do cuidar em enfermagem: concepções teórico-filosóficas. Escola Anna Nery Rev Enferm. 2002; 6(1):79-92.

Maia AR, et al. Princípios do cuidar. In: o processo de cuidar, ensinar e aprender o fenômeno das drogas: a redução das demanda. Módulo 04. Curso de Especialização no Fenômeno das Drogas. Florianópolis (SC): UFSC. Departamento de Enfermagem. 2003.

Ferreira MA. A comunicação no cuidado: uma questão fundamental na enfermagem. Rev Bras Enferm. 2006; 59(3):327-30.

Santos CCV, Shiratori K. A influência da comunicação não verbal no cuidado de enfermagem. Rev Bras Enferm. 2005; 58(4):434-7.

Souza ML, Sartor VVB, Padilha MICS, Prado ML. O cuidado em enfermagem - uma aproximação teórica. Texto Contexto Enferm. 2005; 14(2):266-70.

Raduenz AC, Hoffmann P, Radunz V, Dal Sasso GTM, Maliska ICA, Marck PB. Cuidados de enfermagem e segurança do paciente: visualizando a organização, acondicionamento e distribuição de medicamentos com método de pesquisa fotográfica. Rev Latino Am Enferm. 2010.

Thiesen M. Sistematização da assistência de enfermagem peroperatória: contribuição para bem estar da pessoa cirúrgica. 2005. Disponível em: . Acesso em 21 mai 2018.

Frias TFP, Costa CMA, Sampaio CEP. O impacto da visita pré-operatória de enfermagem no nível de assistência de pacientes cirúrgicos. Rev Mineira Enferm. 2010; 14(3):345-352.

Christóforo BEB, Carvalho DS. Cuidados de enfermagem realizados no paciente cirúrgico no período pré-operatório. Rev Esc Enferm USP. 2009; 43(1):14-22.

Fernandes EO, et al. Avaliação pré-operatória e cuidados em cirurgias eletiva: recomendações baseadas em evidências. Rev AMRIGS. 2010; 54(2):240-258.

Galdeano LE, et al. Diagnósticos de enfermagem de pacientes no período transoperatório de cirurgia cardíaca. Rev Latino Am Enferm. 2003; 11(2):199-206.

Piccoli M, Galvão CN. Enfermagem perioperatória: Identificação do m diagnóstico de enfermagem risco para infecção fundamentada no modelo conceitual de Levine. Rev Lantino Am Enferm. 2001; 9(4).

Moraes LO, Peniche AAG. Assistência de enfermagem no período de recuperação anestésica: revisão de literatura. Rev Esc Enferm USP. 2003; 37(4):34-42.

Passos, APP. O cuidado da enfermagem ao paciente cirúrgico frente ao ato anestésico. Rio de Janeiro: Ciênc Biol Saúde. 2012; 6(12):14-19.

Martins CR, Dal Sasso GTM. Tecnologia: definições e reflexões para a prática em saúde e enfermagem. Florianópolis: Texto Contexto Enferm. 2008; 17(1):11-2.

Nobrega MP, Nobrega VP, Alves ÉSRC. As tecnologias em saúde e os desafios da enfermagem à implementação dos cuidados. 2015. Disponível em: . Acesso em 25 mai 2018.

Salvador PTCO, Oliveira RKM, Costa TD, Santos VEP, Tourinho FSV. Tecnologia e inovação para o cuidado em enfermagem. Rio de Janeiro: Rev Enferm UERJ. 2012; 20(1):111-7.

Silva DC, Alvim NAT, Figueiredo PA. Tecnologias leves em saúde e sua relação com o cuidado de enfermagem hospitalar. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2008; 12(2):291-8.

Llapa Rodríguez EO, Echevarría Guanilo ME, Magnani Fernandes L, Candundo G. Informática em enfermagem: facilitador na comunicação e apoio para a prática. Invest Educ Enferm. 2008; 26(2 supl):144-149.

Martins FM, Barbosa ICFJ. Tecnologias de enfermagem no cuidado. 2014. Disponível em: . Acesso em 22 mai 2018.

Schwonke CRGB, et al. Perspectivas filosóficas do uso da tecnologia no cuidado de enfermagem em terapia intensiva. Brasília: Rev Bras Enferm. 2011; 64(1):189-92.


Visualizações do PDF:

13 views


Visualizações do Resumo:

51 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud