Conhecimentos, atitudes e práticas de enfermeiros e médicos sobre sífilis: revisão integrativa

Renata Martins da Silva Pereira, Flávia de Souza Selvati, Karina de Souza Ramos, Lohany Gomes Ferreira Teixeira, Leila Rangel da Silva

Resumo

Este estudo teve como objetivo descrever, a partir da literatura, conhecimentos, atitudes e práticas de enfermeiros e médicos sobre o manejo da sífilis. Foi feita pesquisa na BVS e Portal de Periódicos CAPES, utilizando os descritores “Conhecimentos, atitudes e prática em saúde” AND “Sífilis”, com texto completo, publicados entre os anos de 2009 e 2019.  Foram analisados 4 artigos e 5 dissertações. Foram encontradas deficiências na definição de casos, diagnóstico, tratamento com penicilina e também no tratamento para alérgicos a esta droga. Foram encontradas inadequações em atitudes recomendadas nos protocolos e relacionadas a convocação de parceiros para a testagem. As práticas relacionadas a abordagem do parceiro e a prescrição e administração de penicilina na UBS também apresentaram fragilidades.  Conclui-se que existe um longo caminho a percorrer em busca de conformidade de conhecimentos, atitudes e práticas de médicos e enfermeiros frente ao manejo da sífilis e que a educação permanente em saúde pode ser uma saída para enfrentamento desta realidade.

Descritores: Conhecimentos, Atitudes e Prática em Saúde, Sífilis, Atenção à Saúde.

 

Knowledge, attitudes and practices of nurses and doctors on syphilis: integrative review

Abstract: This study aimed to describe, from the literature, knowledge, attitudes and practices of nurses and doctors about the management of syphilis. Research was carried out in the VHL and CAPES Journal Portal, using the descriptors “Health knowledge, attitudes and practice” AND “Syphilis”, with full text, published between the years 2009 and 2019. 4 articles and 5 dissertations were analyzed. Deficiencies were found in the definition of cases, diagnosis, treatment with penicillin and also in the treatment for those allergic to this drug. Inadequacies were found in attitudes recommended in the protocols and related to calling partners for testing. Practices related to the partner's approach and the prescription and administration of penicillin at the BHU also showed weaknesses. It is concluded that there is a long way to go in search of conformity of knowledge, attitudes and practices of doctors and nurses regarding the management of syphilis and that permanent education in health can be a way out to face this reality.

Descriptors: Health Knowledge, Attitudes and Practice, Syphilis, Health Care.

 

Conocimientos, actitudes y prácticas de enfermeras y doctores sobre la sífilis: revisión integrativa

Resumen: Este estudio tuvo como objetivo describir, a partir de la literatura, el conocimiento, las actitudes y las prácticas de las enfermeras y los médicos sobre el manejo de la sífilis. La investigación se llevó a cabo en el Portal de la revista BVS y CAPES, utilizando los descriptores “Conocimientos, actitudes y práctica en salud” Y “Sífilis”, con texto completo, publicado entre los años 2009 y 2019. Se analizaron 4 artículos y 5 disertaciones. Se encontraron deficiencias en la definición de casos, diagnóstico, tratamiento con penicilina y también en el tratamiento de las personas alérgicas a este medicamento. Se encontraron deficiencias en las actitudes recomendadas en los protocolos y relacionadas con la llamada a los socios para las pruebas. Las prácticas relacionadas con el enfoque de la pareja y la prescripción y administración de penicilina en el BHU también mostraron debilidades. Se concluye que hay un largo camino por recorrer en busca de la conformidad del conocimiento, las actitudes y las prácticas de los médicos y enfermeras con respecto al manejo de la sífilis y que la educación permanente en salud puede ser una salida para enfrentar esta realidad.

Descriptores: Conocimientos, Actitudes y Prácticas en Salud, Sífilis, Atención de Salud.

Texto completo:

PDF

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim epidemiológico de sífilis. Brasília: Ministério da Saúde. 2018.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Boletim epidemiológico de sífilis: Número especial. Brasília: Ministério da Saúde. 2019.

Tsiamis C, Vrioni G, Rebelakou EP, Gennimata V, Murdjeva MA, Tsakris A. Medical and Social Aspects of Syphilis in the Balkans from the mid-19th Century to the Interwar. Atenas: Folia Medica I. 2016; 1(58):1.

Rocha AFB, Araújo MAL, Miranda AE, Leon RGP, Silva GBS, Vasconcelos LDG. Management of sexual partners of pregnant women with syphilis in northeastern Brazil - a qualitative study. Fortaleza: BMC Health Services Research. 2019; 19:65.

Storino BD, et al. Atitudes de profissionais da saúde em relação ao comportamento suicida. Cad Saúde Colet. 2018; 26(4):369-377.

Carvalho V. Ética e valores na prática profissional em saúde: considerações filosóficas, pedagógicas e políticas. Rev Esc Enferm USP. 2011; 45(2):797-1802.

Costa LD, Faeuch SB, Teixeira GT, Cavalheiri JC, Marchi ADA, Benedetti VP. Conhecimento dos profissionais que realizam pré-natal na atenção básica sobre o manejo da sífilis. Ciência, Cuidado e Saúde. 2018; 17(1).

Santos RS, Niquini RP, Domingues RMS, Bastos FI. Knowledge and Compliance in Practices in Diagnosis and Treatment of Syphilis in Maternity Hospitals in Teresina - PI, Brazil. Rev Bras Ginecol Obstet. 2017; 39: 453-463.

Souza MT, Silva MD, Carvalho R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein. 2010; 8(1):102-106.

Quinteiro NM. Conhecimento, atitude e prática de tocoginecologistas de campinas frente a triagem sorológica de sífilis na gestação e prevenção da sífilis congênita. Dissertação (Mestrado). Campinas: Universidade Estadual de Campinas. 2017.

Santos RR. Conhecimento e práticas dos profissionais de saúde das maternidades públicas de Teresina, Piauí, no manejo da sífilis na gestação e congênita. Dissertação (Mestrado). Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. 2015.

Silva DMA, et al. Conhecimento dos profissionais de saúde acerca da transmissão vertical da sífilis em Fortaleza. Florianópolis. Texto Contexto Enferm. 2014; 23(2):278-285.

Gomes SF. Conhecimentos, atitudes e práticas dos médicos e enfermeiros das Unidades de Saúde da Família sobre sífilis em gestantes na cidade do Recife - PE. Dissertação (Mestrado). Recife: Universidade Federal de Pernambuco. 2013.

Costa CC. Conhecimento, atitude e prática dos enfermeiros acerca do controle da sífilis na gestação. 2012. Dissertação (Mestrado). Fortaleza: Universidade Federal do Ceará. 2012.

Rodrigues DC. Conhecimentos, atitudes e práticas dos profissionais da Estratégia Saúde da Família de Teresina para o controle da sífilis em gestante. Dissertação (Mestrado). Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. 2015.

Domingues RMSM, Lauria LM, Saraceni M, Leal MC. Manejo da sífilis na gestação: conhecimentos, práticas e atitudes dos profissionais pré-natalistas da rede SUS do município do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Ciência Saúde Coletiva. 2013; 18(5):1341-1351.

Lazarini FM, Barbosa DA. Intervenção educacional na Atenção Básica para prevenção da sífilis congênita. Rev Latino Am Enferm. 2017; 25:2845.

Machado I, Silva VAN, Pereira RMS, Guidoreni CG, Gomes MP. Diagnóstico e tratamento de Sífilis durante a gestação: desafio para Enfermeiras? Rev Saúde Pesquisa. 2018; 11(2):249-255.

COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Nota técnica COFEN/CTLN n° 03/2017. 2017. Disponível em: .


Visualizações do PDF:

16 views


Visualizações do Resumo:

48 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud