Mortalidade infantil: perfil epidemiológico da região do médio Vale do Itajaí

Simone Isabel Steffens da Silva, Ana Carolina França de Moraes, Nadia Lisieski

Resumo

A mortalidade infantil é um indicador que estima a proporção de óbitos em crianças com menos de um ano, ocorridos em determinado período e lugar. O artigo tem como objetivo identificar o perfil epidemiológico da mortalidade infantil da Região do Médio Vale do Itajaí (RMVI) no período entre 2014 e julho de 2019. O estudo trata-se de uma pesquisa quantitativa de caráter descritivo exploratório, no qual foram pesquisados dados de acesso público, disponíveis no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e no Sistema de Informações sobre Nascidos Vivos (SINASC). Os resultados foram aplicados em tabelas e gráficos e analisados com embasamento bibliográfico. Conhecer o perfil epidemiológico permite aos profissionais de saúde e gestores identificar a população de maior vulnerabilidade e implementar medidas de prevenção e proteção à saúde, com vistas à redução da mortalidade infantil.

Descritores: Mortalidade Infantil, Perfil de Saúde, Mortalidade.

 

Child mortality: epidemiological profile of the middle Valley of Itajaí region

Abstract: Child mortality is an indicator that estimates the rate of the deaths of children under one year of age, occurring at a certain time and place. The article aims at identifying the epidemiological profile of child mortality in the Region of the Middle Valley of Itajaí (RMVI) in the period between 2014 and July 2019. The study is quantitative research of exploratory and descriptive character, in which public access data available in the Mortality Information System (SIM) and the Live Birth Information System (SINASC) were researched. The results were applied to charts and graphs and analyzed with a bibliographic basis. Knowing epidemiological profiles allows health professionals and managers to identify the most vulnerable part of the population and implement preventive and health protection measures aiming to reduce child mortality.

Descriptors: Infant Mortality, Health Profile, Mortality.

 

Mortalidad infantil: perfil epidemiológico de la región Valle medio do Itajaí

Resumen: La mortalidad infantil es un indicador que estima la proporción de muertes en niños menores de un año, que ocurren en un momento y lugar determinados. El artículo tiene como objetivo identificar el perfil epidemiológico de la mortalidad infantil en la Región del Valle Medio de Itajaí (RMVI) en el período comprendido entre 2014 y julio de 2019. El estudio es una investigación cuantitativa de carácter exploratorio descriptivo, en el que se buscaron datos de acceso público, disponible en el Sistema de Información de Mortalidad (SIM) y en el Sistema de Información de Nacimientos Vivos (SINASC). Los resultados se aplicaron a tablas y gráficos y se analizaron con base bibliográfica. Conocer el perfil epidemiológico permite a los profesionales y gerentes de salud identificar a la población más vulnerable e implementar medidas preventivas y de protección de la salud, con miras a reducir la mortalidad infantil.

Descriptores: Mortalidad Infantil, Perfil de Salud, Mortalidad.

Texto completo:

PDF

Referências

Brasil. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União 20 set 1990. Seção 1: 18055. Disponível em: . Acesso em 18 out 2019.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Guia de vigilância epidemiológica. 7ª ed. Brasília: Ministério da Saúde. 2009; 17-19.

Ministério da Saúde. DATASUS - Departamento de Informática do SUS. 2019. Disponível em: . Acesso em 18 out 2019.

Rede Interagencial de Informação para a Saúde - RIPSA. Indicadores básicos para a saúde no Brasil: conceitos e aplicações. 2ª ed. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde. 2018; 108. Disponível em: . Acesso em 18 out 2019.

Lisboa L, Abreu DMX, Lana AMQ, França EB. Mortalidade infantil: principais causas evitáveis na região centro de Minas Gerais, 1999-2011. Brasília: Epidemiol Serv Saúde. 2015; 24(4):711-720.

Brasil. Ministério da Saúde. Saúde Brasil 2015/2016: uma análise da situação de saúde e da epidemia pelo vírus Zika e por outras doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Brasília: Ministério da Saúde. 2017; 61-63. Disponível em: . Acesso em 06 nov 2019.

Silva GN, Cardoso AM. O papel do enfermeiro na redução da mortalidade infantil por meio do acompanhamento de puericultura na atenção básica. Rev Cien Escol Estad Saud Publ Cândido Santiago - RESAP. 2018; 4(1):91-99.

Brasil. Ministério da Saúde. Manual de vigilância do óbito infantil e fetal e do comitê de prevenção do óbito infantil e fetal. 2ª ed. Brasília: Ministério da Saúde. 2009; 7-8.

Michel MH. Metodologia e Pesquisa Científica: um guia prático para acompanhamento da disciplina e elaboração de trabalhos monográficos. São Paulo: Atlas. 2005; 33.

Brasil. Ministério da Saúde. Manual de instruções para o preenchimento da declaração de óbito. Brasília: Ministério da Saúde. 2011; 7-9.

Brasil. Ministério da Saúde. Manual de instruções para o preenchimento da declaração de nascido vivo. Brasília: Ministério da Saúde. 2011; 6-9.

Simão CF, Flissak M. Relatório de informações socioeconômicas. Blumenau, 2018. Disponível em: . Acesso em 12 out 2019.

TABNET. Mortalidade infantil. Nascidos vivos. 2019. Disponível em: . Acesso em 06 nov 2019.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Gestação de alto risco: manual técnico. Brasília, 2012. 11-14. Disponível em: . Acesso em 12 out 2019.

Haidar FH, Oliveira, UF, Nascimento LFC. Escolaridade materna: correlação com os indicadores obstétricos. Rio de Janeiro: Cad Saúde Pública. 2001; 17(4):1025-1029.

Organização Mundial da Saúde. OMS lança nova recomendação para reduzir número de cesarianas desnecessárias no mundo. 2018. Disponível em: . Acesso em 15 out 2019.

Vallin J. Mortalidade, sexo e gênero. In: Pinnelli A, organizador. Gênero nos estudos de população. Campinas: Associação Brasileira de Estudos Populacionais. 2004; 15-54. Disponível em: . Acesso em 12 out 2019.

Tourinho AB, Reis LBDSM. Peso ao nascer: uma abordagem nutricional. Comun Ciências Saúde. 2013; 22(4):19-30.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Síntese de evidências para políticas de saúde: mortalidade perinatal. Brasília. 2012; 43. Disponível em: . Acesso em 08 dez 2019.

Campos DA, Melo e Peixoto MSR, Medeiros BGS, Lucena VS. Fatores genéticos: prevalência de mortalidade neonatal e anomalias congênitas. Paraíba: Journal of Biology Pharmacy and Agricultural Management. 2017; 13(2).


Visualizações do PDF:

8 views


Visualizações do Resumo:

87 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud