A mulher contemporânea e a violência: o desafio do rompimento do silêncio

Bianca Alves Durães, Beatriz Silva Camacho, Joseana Maria de Sousa Gomes, Marcella Karoline da Silva, Gilberlândio Pereira Oliveira, Janize Silva Maia, Mayara Nunes dos Santos, Luiz Faustino dos Santos Maia

Resumo

A violência contra uma mulher viola direitos humanos e atualmente, persiste como um dos problemas mais graves enfrentados. Compreender os motivos pelos quais a mulher que já sofreu violência doméstica não expressa à agressão sofrida por meio da denúncia formal. Estudo de abordagem quantitativa e qualitativa com 100 mulheres que já sofreram algum tipo de violência. A maioria das entrevistadas sofreu violência física e psicológica e não realizou nenhum tipo de denúncia devido ao medo e sua capacidade de coibição de registros de ocorrências e os exames de corpo delito, apesar da ampliação da legislação que protege e assegura o direito das mulheres acometidas pela violência na sociedade. As agressões física e psicológica predominam nos tipos de violência doméstica praticados, tendo o ciúme como principal fator motivador. A divulgação das informações sobre violência doméstica e os tipos de violência é fundamental às mulheres.

Descritores: Informação, Violência contra a mulher, Violência doméstica.

 

Contemporary women and violence: the challenge of breaching silence

Abstract: Violence against women violates human rights and currently persists as one of the most serious problems faced. To understand the reasons why women that suffered domestic violence don’t express to the aggression suffered through formal complaint. Quantitative and qualitative study with 100 women who have suffered some type of violence. Most interviewees suffered physical and psychological violence, and did not make any kind of complaint due to fear and their ability  of curbing occurrence records and misdemeanor body examinations, despite the expansion of the legislation which protects and ensures the right of women affected by violence in society. Physical and psychological aggressions predominate in the types of domestic violence committed, having jealousy as the main motivating factor. The dissemination of information on domestic violence and the types of violence is fundamental to women.

Descriptors: Information, Violence Against Women, Domestic Violence.

 

Mujeres contemporáneas y violencia: el desafío del silencio que viola

Resumen: La violencia contra la mujer viola los derechos humanos y actualmente persiste como uno de los problemas más graves que enfrentamos. Comprender las razones por las cuales la mujer que ha sufrido violencia doméstica no expresa la agresión sufrida a través de la denuncia formal. Estudio del enfoque cuantitativo y cualitativo con 100 mujeres que han sufrido algún tipo de violencia. La mayoría de las entrevistadas, que sufrieron violencia física y psicológica, no denunciaron ninguna queja debido al miedo, su capacidad para frenar los registros de sucesos y los exámenes de cuerpos criminales, a pesar de la expansión de la legislación que protege y garantiza los derechos de las mujeres afectados por la violencia en la sociedad. La agresión física y psicológica predomina en los tipos de violencia doméstica practicada, con los celos como el principal factor motivador. La divulgación de información sobre violencia doméstica y tipos de violencia es crítica para las mujeres.

Descriptores: Información, Violencia contra la Mujer, Violencia Doméstica.

Texto completo:

PDF

Referências

Ferreira DF, Tamboril MIB. Violência doméstica discutida em gênero, número e grau. Rev Saberes. 2015; 3(2):51-62.

Albuquerque JBC, et al. Violência doméstica: características sociodemográficas de mulheres cadastradas em uma Unidade de Saúde da Família. Rev Eletr Enferm. 2013; 15(2):382-90.

Fonseca DH, Ribeiro CG, Leal NSB. Violência doméstica contra a mulher: realidades e representações sociais. Rev Psicologia & Sociedade. 2012; 24(2):307-314.

Organização Mundial da Saúde - OMS. Mulheres e saúde: evidências de hoje, agenda de amanhã, 2011. Disponível em: . Acesso em 06 jul 2019.

Waiselfisz JJ. Mapa da violência 2013. Mortes atadas por armas de fogo. Rio de Janeiro: Flacso. Centro Brasileiro de Estudos Latino-Americano, 2013. Disponível em: . Acesso em 14 jul 2019.

Brasil. Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres. Política Nacional de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres, 2016. Disponível em: . Acesso em 27 ago 2019.

Silva SG. Preconceito e discriminação: as bases da violência contra a mulher. Rev Psicologia Ciência Profissão. 2010; 30(3):556-571.

Aguiar RS. O cuidado de enfermagem à mulher vítima de violência doméstica. Brasília: Rev Recom. 2013; 3(2):723-731.

Roiz DS. A história das relações de gênero, histórias em construção. Florianópolis: Rev Estudos Feministas. 2011; 19(3):1005-1026.

Silva CMOG, Menegat AS. Violência contra as mulheres: a Lei Maria da Penha e suas implicações jurídicas e sociais em Dourados-MS. Tese doutorado. Universidade Federal da Grande Dourados MS: UFGD. 2010.

Rangel CMFRBA, Oliveira EL. Violência contra as mulheres: fatores precipitantes e perfil de vítimas e agressores. Rev Fazendo Gênero: Diásporas, Diversidades, Deslocamentos. 2010; 9:1-11.

Fabeni L, Souza LT, Lemos LB, Oliveira MCLR. O discurso do "amor" e da "dependência afetiva" no atendimento às mulheres em situação de violência. Rev NUFEN. 2015; 7(1):32-47.


Visualizações do PDF:

72 views


Visualizações do Resumo:

125 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud