Acidente vascular cerebral em adulto jovem: análise dos registros do sistema de informação hospitalar

Lutieri Mateus Benetti, André Luís Machado Bueno

Resumo

Trata-se de um estudo ecológico, retrospectivo, das internações por Acidente Vascular Cerebral (AVC) em adultos jovens, cujo objetivo foi descrever o perfil epidemiológico desses eventos. Os dados são oriundos do Sistema de Informação Hospitalar (SIH) registrado no período de 2013 a 2017. O estudo se justifica pelo número crescente dos casos de internação por AVC nessa faixa etária no Rio Grande do Sul - RS. O aumento da doença em adultos jovens tem despertado o interesse da comunidade acadêmica, uma vez que a sua ocorrência representa, negativamente, um fator de impacto individual e socioeconômico. Entre os resultados destaca-se que o sexo feminino apresentou a maior prevalência de AVC, com 58,49%. Indivíduos de origem preta/parda apresentaram os maiores percentuais de acometimento e a doença não se comporta de forma sazonal. A análise cartográfica sugere vulnerabilidade na acessibilidade à recursos de saúde em diversas áreas do RS.

Descritores: Acidente Vascular Cerebral, Adulto Jovem, Morbidade.

 

Stroke in young adult: analysis of hospital information system records

Abstract: This is an ecological, retrospective study of hospitalizations due to stroke in young adults, whose objective was to describe the epidemiological profile of these events. The data originated from the Hospital Information System (SIH) registered in the period from 2013 to 2017. The study is justified by the increasing number of cases of hospitalization due to stroke in this age group in Rio Grande do Sul - RS. The increase of the disease in young adults has aroused the interest of the academic community, since its occurrence represents, negatively, an individual and socioeconomic impact factor. Among the results, it is noteworthy that the female gender presented the highest prevalence of stroke, with 58.49%. Individuals of black/brown origin had the highest percentages of involvement and the disease did not behave seasonally. The cartographic analysis suggests vulnerability in accessibility to health resources in several areas of the RS.

Descriptors: Stroke, Young Adult, Morbidity.

 

Accidente cerebrovascular en adultos jóvenes: Análisis de los registros del sistema de información hospitalaria

Resumen: Se trata de un estudio ecologico y retrospectivo de hospitalizaciones por accidente cerebrovascular en adultos jóvenes, cuyo objetivo fue describir el perfil epidemiológico de estos eventos. Los datos se originaron en el sistema de información del hospital (SIH) registrado en el período de 2013 a 2017. El estudio está justificado por el número cada vez mayor de casos de hospitalización debido a derrame cerebral en este grupo de edad en Rio Grande do Sul - RS. El aumento de la enfermedad en adultos jóvenes ha suscitado el interés de la comunidad académica, ya que su ocurrencia representa, negativamente, un factor de impacto individual y socioeconómico. Entre los resultados, cabe destacar que el género femenino presentó la mayor prevalencia de ictus, con 58,49%. Los individuos del origen negro/marrón tenían los porcentajes más altos de implicación y la enfermedad no se comportó estacional. El análisis cartográfico sugiere vulnerabilidad en la accesibilidad a los recursos de salud en varias áreas de la RS.

Descriptores: Apoplejía, Adulto Joven, Morbilidad.

Texto completo:

PDF

Referências

Tavares TM. Acidente vascular encefálico em adultos jovens - revisão da literatura. Goiânia: Pontifícia Universidade Católica de Goiás. 2011.

Barros SLA, Passos NRS, Nunes MASN. Estudo inicial sobre acidente vascular cerebral e serious games para aplicação no projeto “avc” do núcleo de tecnologia assistiva da UFS. Rev GEINTEC. 2012; 3(1):121-143.

Nunes DLS, Fontes WS, Lima MA. Cuidado de enfermagem ao paciente vítima de acidente vascular encefálico. Rev Bras Ciênc Saúde. 2017; 21(1):87-96.

Grumann ARS, Schoeller SD, Martini AC, Forner S, Baroni GC, Horongozo BD. Características das pessoas com acidente vascular encefálico atendidas em um centro de referência estadual. Rev Fund Care Online. 2017; 9(2):315-320.

Scharamm JMA, Oliveira AF, Leita IC, Valente JG, Gadelha AMJ, Portela MC, et al. Transição epidemiológica e o estudo de carga de doença no Brasil. Rev Ciência Saúde Coletiva. 2004; 9(4):897-908.

Torres DDM. Conhecimento e associação com o etilismo na hipertensão arterial [dissertação]. São José do Rio Preto: Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. 2015.

Henriques M, Henriques J, Jacinto J. Acidente vascular cerebral no adulto jovem: a realidade num centro de reabilitação. Rev SPMFR. 2015; 27(1):9-13.

Trad LIA, Pereira APA, Baptista MN. Suporte social e aspectos ocupacionais do adulto jovem após acidente vascular cerebral. Rev SPMFR. 2017; 18(2):474-483.

DATASUS. Informações de saúde. Disponível em: . Acesso em: 20 mar 2019.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo demográfico 2010: Painel dos resultados do universo. Disponível em: . Acesso em: 18 mar 2019.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Diretrizes de atenção à reabilitação da pessoa com acidente vascular cerebral. 2013.

Almeida S. Análise epidemiológica do acidente vascular cerebral no Brasil. Rev Neurociências. 2012; 20(4):481-482.

Pinheiro H, Vianna L. Taxa de mortalidade específica por doenças cerebrovasculares no Distrito Federal entre 1995 e 2005. Rev Neurociências. 2012; 20(4):488-493.

Leite, SMA. Disseminação de informações em ações específicas para o acidente vascular cerebral [dissertação]. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca. 2009.

Bueno ALM. A geoepidemiologia e o lugar: espaços de sentido para as violências contra mulheres do Rio Grande do Sul [tese]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2017.

Morais EP, Rodrigues RAP, Gerhardt TE. Os idosos mais velhos no meio rural: realidade de vida e saúde de uma população do interior gaúcho. Rev Texto Contexto Enferm. 2008; 17(2):374-383.

Mendonça CS, Diercks MS, Kopittke L. O fortalecimento da atenção primária à saúde nos municípios da região metropolitana de Porto Alegre, Brasil, após a inserção no Programa Mais médicos: uma comparação intermunicipal. Rev Ciência Saúde Coletiva. 2016; 21(9):2871-2878.


Visualizações do PDF:

64 views


Visualizações do Resumo:

138 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud