O processo de trabalho no centro de material e esterilização: percepção da equipe de enfermagem

Allan Roberto Miranda, Mariana Graziela Pinheiro, Elaine Reda da Silva

Resumo

Este estudo objetivou conhecer a percepção da equipe de enfermagem frente ao processo de trabalho no Centro de Material e Esterilização - CME. Tratou-se de um estudo descritivo-exploratório com abordagem quantitativa, realizado com 18 profissionais de enfermagem do CME de um Hospital Universitário, localizado no interior de São Paulo. A coleta de dados foi realizada entre maio e junho de 2018, através de entrevista semiestruturada e a análise estatística por meio de percentual simples. As dificuldades mais frequentes foram: inadequação de recursos materiais/físicos, sobrecarga de trabalho, falta de treinamento, riscos ocupacionais e a não valorização do trabalho. A contratação de profissionais foi a estratégia de melhoria mais citada. Houve satisfação em relação ao trabalho, porém a falta de valorização e os recursos humanos/materiais inadequados, causam desestímulo. Logo, a importância do reconhecimento das fragilidades do setor e das percepções dos funcionários, visando maior valorização profissional e, consequentemente, uma assistência mais eficaz e segura.

Descritores: Esterilização, Segurança do Paciente, Equipe de Enfermagem.

 

The work process in the center of material and sterilization: perception of nursing team

Abstract: This study aimed to know the perception of the nursing team regarding the work process at the Material and Sterilization Center - CME. It was a descriptive-exploratory study with a quantitative approach, carried out with 18 CME nursing professionals from a University Hospital, located in the interior of São Paulo. Data collection was performed between May and June of 2018, through semi-structured interviews and statistical analysis using a simple percentage. The most frequent difficulties were: inadequate material / physical resources, work overload, lack of training, occupational risks and non-valorization of work. The hiring of professionals was the most cited improvement strategy. There was satisfaction with the work, but the lack of valorization and the inadequate human / material resources, cause discouragement. Therefore, the importance of recognizing the fragilities of the sector and the perceptions of the employees, aiming for greater professional valorization and, consequently, a more effective and safe assistance.

Descriptors: Sterilization, Patient Safety, Nursing Team.

 

El proceso de trabajo en el centro de material y esterilización: percepción del equipo de enfermería

Resumen: Este estudio objetivó conocer la percepción del equipo de enfermería frente al proceso de trabajo en el Centro de Material y Esterilización - CME. Se desarrolló un estudio descriptivo-exploratorio con abordaje cuantitativo, realizado con 18 profesionales de enfermería del CME de un Hospital Universitario, ubicado en el interior de São Paulo. La recolección de datos fue realizada entre mayo y junio de 2018, a través de entrevista semiestructurada y el análisis estadístico por medio de porcentual simple. Las dificultades más frecuentes fueron: inadecuación de recursos materiales/físicos, sobrecarga de trabajo, falta de entrenamiento, riesgos ocupacionales y la no valorización del trabajo. La contratación de profesionales fue la estrategia de mejora más citada. Hubo satisfacción en relación al trabajo, pero la falta de valorización y los recursos humanos / materiales inadecuados, causan desestímulo. Por lo tanto, la importancia del reconocimiento de las fragilidades del sector y de las percepciones de los funcionarios, buscando mayor valorización profesional y, consecuentemente, una asistencia más eficaz y segura.

Descriptores: Esterilización, Seguridad del Paciente, Equipo de Enfermería.

Texto completo:

PDF

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Resolução - RDC nº. 15, de 15 de março de 2012. Dispõe sobre requisitos de boas práticas para o processamento de produtos para saúde e dá outras providências. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. Disponível em: . Acesso em 09 mar 2018.

Taube SAM, Zagonel IPS, Meier MJ. Um marco conceitual ao trabalho da enfermagem na central de material e esterilização. Rev Cogitare Enferm, 20; 10(2):76-83.

Tipple AFV, Souza TR, Bezerra ALQ, Munari DB. O trabalhador sem formação em enfermagem atuando em centro de material e esterilização: desafio para o enfermeiro. Rev Esc Enferm USP. 2005; 39(2):173-80.

Magalhães AMM, Riboldi CO, Dall’agnol CM. Planejamento de recursos humanos de enfermagem: desafio para as lideranças. Rev Bras Enferm. 2009; 62(4):608-12.

Pezzi MCS, Leite JL. Investigação em Central de Material e Esterelização utilizando a Teoria Fundamentada em Dados. Brasília: Rev Bras Enferm. 2010; 63(3):391-396.

Taube SAM, Méier MJ. O processo de trabalho da enfermeira na central de material e esterilização. Acta Paul Enferm. 2007; 20(4):470-5.

Carrijo AR. Ensino de História da Enfermagem: formação inicial e identidade profissional. Tese (doutorado). Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012, 172p. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7140/tde-15022012-185459/pt-br.php. Acesso em 26 fev 2018.

Sanches ML. A (In) Visibilidade do trabalho do enfermeiro no Centro de Materiais e Esterilização. 86p. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Escola de Enfermagem. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande. 2015. Disponível em: . Acesso em 15 jun 2018.

Aquino JM, Barros LP, Brito AS, Ferreira EB, Medeiros SEG, Santos ER. Centro de material e esterilização: acidentes de trabalho e riscos ocupacionais. São Paulo: Rev SOBECC. 2014; 19(3):148-154.

Tipple AFV, Souza ACS, Almeida ANG, Souza SB, Siqueira KM. Acidente com material biológico entre trabalhadores da área de expurgo em centros de material e esterilização. Maringá: Acta Scientiarum Health Sciences. 2004; 26(2):271–278.

Florêncio V, Rodrigues C, Pereira M, Souza A. Adesão às precauções padrão entre os profissionais da equipe de resgate pré-hospitalar do corpo de bombeiros de Goiás. Rev Eletr Enferm. 2003;5(1)43–8.

Martins VMF, Munari DB, Tipple AFV, Bezerra ALQ, Leite JL, Ribeiro LCM. Forças impulsoras e restritivas para trabalho em equipe em um centro de material e esterilização de hospital escola. Rev Esc Enferm USP. 2011; 45(5): 1183-90.

Athanázio AR, Cordeiro BC. Educação permanente a trabalhadores da central de material e esterilização. Rev Enferm UFPE. 2015; 9(6):8758-61.

Mendes IAA, Trevizan MA, Mazzo A, Godoy S, Ventura CAA. Professional marketing and social visibility in nursing: a strategy to value human resources. Texto Contexto Enferm. 2011; 20(4):788-95.

Jesus MCP, Figueiredo MAG, Santos SMR, Amaral AMM, Rocha LO, Thiollent MJM. Educação permanente em enfermagem em um hospital universitário. Rev Esc Enferm USP. 2011; 45(5):1229-36.

Amestoy SC, Trindade LL, Silva GTR, Santos BP, Reis VRSS, Ferreira VB. Liderança na enfermagem: do ensino ao exercício no ambiente hospitalar. Esc Anna Nery. 2017; 21(4):e20160276.

Verschueren M, Kips J, Euwema M. A review on leadership of head nurses and patient safety and quality of care. Adv Health Care Manag. 2013; 14:3-34.

Costa MAR, Souza VS, Oliveira JLC, Teston EF, Matsuda LM. A gestão do cuidado sob a ótica de enfermeiros supervisores. Rev Rene. 2017; 18(4):476-82.

Nunes EMGT, Gaspar MFM. A liderança em enfermagem e a satisfação dos pacientes em contexto hospitalar. Rev Gaúcha Enferm. 2016; 37(2):e55726.

Martins FOS, Ribeiro MLL. Implantação e uso de sistema de rastreabilidade automatizado em central de materiais e esterilização. São Paulo: Rev SOBECC. 2017; 22(1):52-58.

Espindola M, Fontana R. Riscos ocupacionais e mecanismos de autocuidado do trabalhador de um centro de material e esterilização. Porto Alegre: Rev Gaúcha Enferm. 2012; 33(1):116-23.

Sanchez ML, Silveira RS, Figueiredo PP, Mancia JR, Schwonke CRB, Gonçalves NGC. Estratégias que contribuem para a visibilidade do trabalho do enfermeiro na central de material e esterilização. Texto Contexto Enferm. 2018; 27(1):e6530015:1-9.

Coelho MA. A Enfermagem: principais dificuldades na prática e o caminho a ser seguido. COREN-GO. Conselho Regional de Enfermagem de Goiás, 2014. Disponível em: http://www.corengo.org.br/a-enfermagem-principais-dificuldades-na-pratica-e-o-caminho-a-ser-seguido_1844.html. Acesso em 15 jun 2018.

Neis MEB, Gelbck FL, Salum NC, Oliveira TT. Centro de material e esterilização: estudo do tempo efetivo de trabalho para dimensionamento de pessoal. Rev Eletr Enf. 2011; 13(3):422-30.

Ouriques CM, Machado ME. Enfermagem no processo de esterilização de materiais. Texto Contexto Enferm. 2013; 22(3):695-703.


Visualizações do PDF:

40 views


Visualizações do Resumo:

153 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud