Repercussões da violência ocupacional na saúde dos profissionais de enfermagem

Hariane Freitas Rocha Almeida, Rafael Mondego Fontenele, Mayra Caroline Maranhão Araújo, Ana Carolyne Abreu Fontenelle Torres, Daniel Mussuri de Gouveia, Aline Sharlon Maciel Batista Ramos

Resumo

O objetivo do estudo foi analisar as evidências científicas referentes à violência ocupacional sofrida pelos profissionais de enfermagem, com ênfase nos principais tipos, eventos desencadeadores, mecanismos de defesa e suas repercussões na saúde desses profissionais. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura realizada por meio das bases de dados LILACS, BDENF e SciELO, totalizando 11 publicações categorizadas em: perfil e eventos desencadeantes da violência entre profissionais de enfermagem, mecanismos de defesa frente à perpetração da violência e repercussões da violência na saúde dos profissionais de enfermagem. É necessária a criação de políticas institucionais voltadas à saúde do trabalhador que promovam a proteção contra a violência e o enfrentamento adequado deste fenômeno por parte dos profissionais de enfermagem, favorecendo um ambiente saudável para o desempenho de suas atividades laborais.

Descritores: Violência no Trabalho, Profissional de Enfermagem, Saúde do Trabalhador.

 

Repercussions of occupational violence on the health of nursing professionals

Abstract: The objective of this study was to analyze the scientific evidence regarding occupational violence suffered by nursing professionals, with emphasis on the main types, triggering events, defense mechanisms and their repercussions on the health of these professionals. It is an integrative review of the literature carried out through the LILACS, BDENF and SciELO databases, totaling 11 publications categorized in: profile and events triggering violence among nursing professionals, mechanisms of defense against violence perpetration and repercussions of violence in the health of nursing professionals. It is necessary to create institutional policies aimed at workers' health that promote protection against violence and the adequate coping of this phenomenon by the nursing professionals, favoring a healthy environment for the performance of their work activities.

Descriptors: Workplace Violence. Nurse Practitioners. Occupational Health.

 

Repercusiones de la violencia ocupacional en la salud de los profesionales de enfermería

Resumen: El objetivo del estudio fue analizar las evidencias científicas referentes a la violencia ocupacional sufrida por los profesionales de enfermería, con énfasis en los principales tipos, eventos desencadenantes, mecanismos de defensa y sus repercusiones en la salud de esos profesionales. Se trata de una revisión integrativa de la literatura realizada por medio de las bases de datos LILACS, BDENF y SciELO, totalizando 11 publicaciones categorizadas en: perfil y eventos desencadenantes de la violencia entre profesionales de enfermería, mecanismos de defensa frente a la perpetración de la violencia y repercusiones de la violencia violencia en la salud de los profesionales de enfermería. Es necesaria la creación de políticas institucionales dirigidas a la salud del trabajador que promuevan la protección contra la violencia y el enfrentamiento adecuado de este fenómeno por parte de los profesionales de enfermería, favoreciendo un ambiente saludable para el desempeño de sus actividades laborales.

Descriptores: Violencia Laboral, Enfermeras Practicantes, Salud Laboral.

Texto completo:

PDF

Referências

Campos AS, Pierantoni CR. Violência no trabalho em saúde: um tema para a cooperação internacional em recursos humanos para a saúde. Rio de Janeiro: RECIIS - Rev Eletr Com Inf Inov Saúde. 2010; 4(1):86-92.

Barreto M, Heloani R. Violência, saúde e trabalho: uma intolerância e assédio moral nas relações laborais. São Paulo: Serv Soc Soc. 2015; 123:544-561.

Machado MH, Santos MR, Oliveira E, Wermelinger M, Vieira M, Lemos W, et al. Condições de trabalho da enfermagem. Rev Enferm Foco. 2016; 7(ESP):63-76.

Arcanjo RVG, Chistovam BP, Braga ALS, Silvino ZR. Gerenciamento dos riscos ocupacionais da enfermagem na atenção básica: estudo exploratório descritivo. J Res Fundam Care Online. 2018; 10(2):351-357.

Pedro DRC, Silva GKT, Lopes APAT, Oliveira JLC, Tonini NS. Violência ocupacional na equipe de enfermagem: análise à luz do conhecimento produzido. Rio de Janeiro: Saúde Debate. 2017; 41(113):618-629.

Bordignon M, Monteiro MI. Violência no trabalho da enfermagem: um olhar às consequências. Rev Bras Enferm. 2016; 69(5):939-42.

Sznelwar LI. Violence and work. Porto: Laboreal. 2017; 13(2):70-72.

Galvão TF, Pansani TSA, Harrad D. Principais itens para relatar Revisões sistemáticas e Meta-análises: a recomendação PRISMA. Brasília: Epidemiol Serv Saúde. 2015; 24(2):335-342.

Silva IV, Aquino EML, Pinto ICM. Violência no trabalho em saúde: a experiência de servidores estaduais da saúde no Estado da Bahia, Brasil. Rio de Janeiro: Cad Saúde Pública. 2014; 30(10):2112-2122.

Souza AAM, Costa WA, Gurgel AKC. Aspectos relacionados à ocorrência de violência ocupacional nos setores de urgência de um hospital. J Res Fundam Care Online. 2014; 6(2):37-650.

Lima GHA, Sousa SMA. Violência psicológica no trabalho de enfermagem. Brasília: Rev Bras Enferm. 2015; 68(5):817-823.

Pai DD, Lautert L, Souza SBC, Marziale MHP, Tavares JP. Violência, burnout e transtornos psíquicos menores no trabalho hospitalar. São Paulo: Rev Esc Enferm USP. 2015; 49(3):457-464.

Silveira J, Karino ME, Martins JT, Galdino MJQ, Trevisan GS. Violência no trabalho e medidas de autoproteção: concepção de uma equipe de enfermagem. J Nurs Health. 2016; 6(3):436-46.

Cordenuzzi OCP, Lima SBS, Prestes FC, Beck CLC, Silva RM, Pai DD. Estratégias utilizadas pela enfermagem em situações de violência no trabalho em hemodiálise. Porto Alegre: Rev Gaúcha Enferm. 2017; 38(2):e58788.

Paula GS, Oliveira EB, Silva AV, Souza SRC, Fabri JMG, Guerra OA. Violência relacionada ao trabalho na psiquiatria: percepção dos trabalhadores de enfermagem. Ribeirão Preto: Rev Eletr Saúde Mental Álcool Drog. 2017; 13(2):86-92.

Scaramal DA, Haddad MCFL, Garanhani ML, Nunes EFPA, Galdino MJQ, Pissinati PSC. Violência física ocupacional em serviços de urgência e emergência hospitalares: percepções de trabalhadores de enfermagem. REME - Rev Min Enferm. 2017; 21:e-1024.

Vieira GLC. Agressão física contra técnicos de enfermagem em hospitais psiquiátricos. São Paulo: Rev Bras Saúde Ocup. 2017; 42:e8.

Freitas RJM, Pereira MFA, Lima CHP, Melo JN, Oliveira KKD. A violência contra os profissionais da enfermagem no setor de acolhimento com classificação de risco. Porto Alegre: Rev Gaúcha Enferm. 2017; 38(3):e62119.

Pai DD, Sturbelle ICS, Santos C, Tavares JP, Lautert L. Violência física e psicológica perpetrada não trabalho em saúde. Florianópolis: Texto Contexto Enferm. 2018, 27(1):e2420016.


Visualizações do PDF:

54 views


Visualizações do Resumo:

139 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud