Perfil de indivíduos com hanseníase residentes em Porto Alegre - RS

Madine Viafore da Silva, Joel Kuyava, Letícia Possebon Müller, Thiele Abech Coitinho

Resumo

Objetivou-se analisar o perfil dos indivíduos com hanseníase, residentes em Porto Alegre/RS e comparar o grau de incapacidade física dos indivíduos com hanseníase no início do tratamento e no momento da alta por cura. Trata-se de um estudo exploratório, descritivo e transversal de abordagem quantitativa, realizado na Coordenadoria Geral de Vigilância em Saúde de Porto Alegre/RS. Utilizou-se 89 notificações do Sistema de Informação de Agravos de Notificação e tabelas em excel obtidas a partir do tabwin no período de 2006 a 2014. Como resultado observou-se o predomínio de casos em indivíduos com faixa etária acima de 20 anos de idade; de GIF 0, seguido de GIF 1 e GIF 2; não houve prevalência estatisticamente significativa em relação ao sexo. Concluiu-se que o tratamento medicamentoso é efetivo aliado ao autocuidado e à fisioterapia, e a importância de o enfermeiro ser capaz de reconhecer sinais e sintomas da doença.

Descritores: Hanseníase, Avaliação em Saúde, Incapacidade Física.

 

Profile of individuals with hanseníase residents in Porto Alegre - RS

Abstract: The objective of this study was to analyze the profile of individuals with leprosy residing in Porto Alegre/RS and to compare the degree of physical incapacity of individuals with leprosy at the beginning of treatment and at the time of discharge. This is an exploratory, descriptive and cross-sectional study of a quantitative approach, conducted at the General Coordinator of Health Surveillance in Porto Alegre/RS. It was used 89 notifications of the Information System of Notification Aggravations and tables in excel obtained from the twin in the period from 2006 to 2014. As a result, it was observed the prevalence of cases in individuals with age group above 20 years of age; of GIF 0, followed by GIF 1 and GIF 2; there was no statistically significant prevalence in relation to sex. It was concluded that drug treatment is effective together with self-care and physiotherapy, and the importance of nurses being able to recognize the signs and symptoms of the disease.

Descriptors: Leprosy. Health Assessment. Physical Disability.

Descriptors: Caregivers, Heart Failure, Evidence-Based Practice.

 

Perfil de individuos con Hanseniasis residentes en Porto Alegre - RS

Resumen: Se objetivó analizar el perfil de los individuos con lepra, residentes en Porto Alegre/RS y comparar el grado de incapacidad física de los individuos con hanseniasis al inicio del tratamiento y en el momento del alta por curación. Se trata de un estudio exploratorio, descriptivo y transversal de abordaje cuantitativo, realizado en la Coordinadora General de Vigilancia en Salud de Porto Alegre/RS. Se utilizaron 89 notificaciones del Sistema de Información de Agravios de Notificación y tablas en excel obtenidas a partir del tabwin en el período de 2006 a 2014. Como resultado se observó el predominio de casos en individuos con edad mayor de 20 años de edad; de GIF 0, seguido de GIF 1 y GIF 2; no hubo prevalencia estadísticamente significativa en relación al sexo. Se concluyó que el tratamiento medicamentoso es efectivo aliado al autocuidado ya la fisioterapia, y la importancia de que el enfermero sea capaz de reconocer signos y síntomas de la enfermedad.

Descriptores: Lepra, Evaluación en Salud, Incapacidad Física.

Texto completo:

PDF

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Vigilância em Saúde: Dengue, Esquistossomose, Hanseníase, Malária, Tracoma e Tuberculose. 2ª ed. Brasília. 2008.

Brasil. Ministério da Saúde. Guia de Vigilância em Saúde. Brasília. 2016.

World Health Organization. Weekly Epidemiological Record. Geneva: WHO. 2016; 91(35):405-420.

Prefeitura Municipal de Porto Alegre. Boletins Epidemiológicos. Boletim Epidemiológico nº 63 - Novembro de 2016. Porto Alegre, 2017. Disponível em: . Acesso em 12 abr 2017.

Neves TV, De Souza EB, Valentim IM, Dos Reis IB, Diniz APM, Rocha ESD, et al. Grau de incapacidade física e escore olhos-mãos-e-pés em pacientes hansênicos pós-alta. Rev APS. 2016; 18(3):335-340.

Duarte MTC, Ayres JÁ, Simonetti JP. Consulta de enfermagem: estratégia de cuidado ao portador de hanseníase em atenção primária. Texto Contexto Enferm. 2009; 18(1):100-107.

Polit DF, Beck CT. Fundamentos de Pesquisa em Enfermagem: Avaliação de evidências para a prática da enfermagem. 7. Ed. Porto Alegre: Artmed. 2011.

Brasil. DATASUS. TABWIN. Ferramentas de tabulação. 2008. Disponível em: . Acesso em 9 jun 2017.

De Faria CRS, Fregonesi CEP, Corazza DAG, De Andrade DM, Mantovani NADT, Silva JR, et al. Grau de incapacidade física de portadores de hanseníase: estudo de coorte retrospectivo. Arquivos de Ciências da Saúde. 2015; 22(4):58-62.

Sousa NP, Silva MIB, Lobo CG, Barboza MCC, Abdon APV. Análise da qualidade de vida em pacientes com incapacidades funcionais decorrentes de hanseníase. Hansen int. 2011; 36(1):11-16.

Monteiro MJSD, Santos GM, Barreto MTS, Silva RVS, Jesus RLR, Silva HJN. Perfil epidemiológico de casos de hanseníase em um estado do norte brasileiro. Rev Aten Saúde. 2017; 15(54):21-28.

Oliveira TAP, Carvalho CL, Galiciolli R, Santangelo EM, Souza RA. Estudo das incapacidades dos casos notificados de hanseníase em uma Gerência Regional de Saúde do Vale do Jequitinhonha entre 2001 e 2008. Hansenologia Internationalis. 2010; 35(1):45-52.

Uchoa REM, Brito KKG, Santana EMF, Silva MA, Oliveira SHS, Soares MJGO. Distribuição dos casos de hanseníase com incapacidade física no estado da Paraíba de 2001 a 2011. Rev Fund Care Online. 2017; 9(3):634-640.

De Oliveira JCF, Leão AMM, Britto FVS. Análise do perfil epidemiológico da hanseníase em Maricá, Rio de Janeiro: uma contribuição da enfermagem. Revista Enfermagem UERJ. 2015; 22(6):815-821.

De Souza EA, Ferreira AF, Boigny RN, Alencar CH, Heukelbach J, Melo FRM, et al. Hanseníase e gênero no Brasil: tendências em área endêmica da região Nordeste. Rev Saude Publica. 2018; 52(20):1-12.

Nardi SMT, Cruz LP, Pedro HSP, Marciano LHSC, Pachoal VDA. Evaluation of physical disabilities in people with leprosy employing two indicators: degree of physical disability indicator and The Eyes-Hands-Feet Score. Hansenologia Internationalis. 2011; 36(2):9-15.

Alves CJM, Barreto JA, Fogagnolo L, Contin LA, Nassif PW. Avaliação do grau de incapacidade dos pacientes com diagnóstico de hanseníase em Serviço de Dermatologia do Estado de São Paulo. Rev Soc Bras Med Trop. 2010; 43(4):460-461.

BRASIL. Ministério da Saúde. Programa Nacional de Controle da Hanseníase. Vigilância em saúde: situação epidemiológica da hanseníase no Brasil. 1ª ed. Brasília. 2008.


Visualizações do PDF:

20 views


Visualizações do Resumo:

103 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud