A consulta pré-natal do enfermeiro em meio à polêmica do Conselho Federal de Medicina: um relato de experiência

Aline Trindade de Almeida, Larissa dos Santos Oliveira, Thaís Vieira Salomão, Janize Silva Maia

Resumo

A atenção pré-natal e puerperal qualificada e humanizada dá-se por meio da integração de condutas acolhedoras, informações e orientações adequadas. O pré-natal de risco habitual pode ser realizado pelo enfermeiro amparado na Lei do Exercício Profissional da Enfermagem e tem como finalidade a prevenção de complicações para a saúde materno-fetal. Relatar o acompanhamento das primeiras consultas pré-natais realizadas por enfermeiros em uma UBS de São Paulo. Relato de experiência numa UBS durante agosto a outubro de 2017, período em que Conselho Federal de Medicina entrou com uma liminar impedindo aos enfermeiros a realização da consulta pré-natal. Das gestantes acompanhadas, 90% saíram da consulta com prescrição de medicações profiláticas, 100% saíram com pedido de exames prescritos pelas enfermeiras e recomendariam o pré-natal realizado naquela unidade de saúde, em função da qualidade e de profissionais humanizadas. As enfermeiras continuaram exercendo suas atribuições com a mesma responsabilidade e qualidade após a suspensão da liminar em outubro de 2017, em vigor até o julgamento final do mérito do processo.

Descritores: Enfermagem, Cuidado Pré-Natal, Humanização da Assistência.

 

The prenatal consultation of nurses in the midst of the controversy of the Federal Council of Medicine: an experience report

Abstract: The qualified and humanized prenatal and puerperal care occurs through the integration of welcoming conducts, information and appropriate orientations. The prenatal of habitual risk can be performed by the nurse supported by the Law of Professional Practice of Nursing and aims to prevent complications for maternal-fetal health. To report the follow-up of the first prenatal consultations performed by nurses at a UBS in São Paulo. Report of experience in a UBS during august to october 2017, period in which the Federal Council of Medicine entered with an inlimination preventing nurses to perform the prenatal consultation. Of The pregnant women followed up, 90% left the consultation with prescription of prophylactic medications, 100% came out with a request for examinations prescribed by the nurses and would recommend the prenatal care performed at that health unit, due to the quality and humanized professionals. The nurses continued to exercise their attributions with the same responsibility and quality after the suspension of the inlimination in october 2017, in force until the final judgment of the merit of the process.

Descriptors: Nursing, Prenatal Care, Humanization of Assistance.

 

La consulta prenatal de enfermeras en medio de la controversia del Consejo Federal de Medicina: un informe de experiencia

Resumen: La atención prenatal y puerperal calificada y humanizada se realiza a través de la integración de conductas de bienvenida, información y orientaciones apropiadas. El cuidado prenatal de riesgo habitual puede ser realizado por la enfermera apoyada por la ley de práctica profesional de enfermería y tiene como objetivo prevenir las complicaciones para la salud materno-fetal. Informar del seguimiento de las primeras consultas prenatales realizadas por enfermeras en un UBS en São Paulo. Informe de la experiencia en un UBS durante el mes de agosto al 2017 de octubre, período en el que el Consejo Federal de Medicina entró con un mandato que impedía a las enfermeras de realizar la consulta prenatal. De las mujeres embarazadas siguieron, 90% dejó la consulta con prescripción de medicamentos profilácticos, 100% salió con una solicitud de exámenes prescritos por las enfermeras y recomendaría el cuidado prenatal realizado en esa unidad de salud, debido a la calidad y profesionales humanizados. Las enfermeras continuaron ejerciendo sus atribuciones con la misma responsabilidad y calidad después de la suspensión del mandato en octubre de 2017, en vigor hasta el juicio final del mérito del proceso.

Descriptores: Enfermería, Atención Prenatal, Humanización de la Atención.

Texto completo:

PDF

Referências

Santos AL, Radovanovic CAT, Marcon SS. Assistência pré-natal: satisfação e expectativas. Rene. 2010; 11(esp): 61-71.

Rodrigues EM, Nascimento RG, Araujo A. Protocolo na assistência pré-natal: ações, facilidades e dificuldades dos enfermeiros da Estratégia de Saúde da Família. Rev Esc Enferm USP. 2011; 45(5):1041-1047.

Rios CTF, Vieira NFC. Ações educativas no pré-natal: reflexão sobre a consulta de enfermagem como um espaço para educação em saúde. Ciênc Saúde Coletiva. 2007; 12(2):477-486.

Martins QPM, et al. Conhecimento de gestantes no pré-natal: evidência para o cuidado de enfermagem. Sobral: Sanare. 2015; 14(2):65-71.

Dias RA. A importância do pré-natal na atenção básica. Nescon, UFMG, 2014. Disponível em: . Acesso em 12 abr 2018.

Oliveira SKP et al. Temas abordados na consulta de enfermagem: revisão integrativa da literatura. 2012. Brasília: Rev Bras Enferm. 2012; 65(1):155-61.

Nunes JT et al. Qualidade da assistência pré-natal no Brasil: revisão de artigos publicados de 2005 a 2015. Cad Saúde Colet. 2016; 24(2):252-261.

Brasil. Ministério da Saúde. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Secretaria de Atenção à Saúde. Brasília - DF: 2012. Disponível em: . Acesso em 18 fev 2018.

Almeida FS et al. A importância do acompanhamento do pré-natal pelo profissional enfermeiro. REMAS - Rev Educ, Meio Ambiente Saúde. 2016; 6(2):155-169.

Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo - CORENSP. (Org.). Restrição das atribuições da Enfermagem: o impacto na Atenção Básica. Uma Era de Democracia e Aproximação no COREN-SP, 2017, São Paulo, 20(1): 30-31.

Brasil. Ministério da Defesa. Lei 7.496 de 25 de junho de 1986. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da enfermagem, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/leis/L7498.htm. Acesso em 17 mar 2018.

Conselho Federal de Enfermagem. COFEN emite Nota de Esclarecimento à Sociedade. 2017. Disponível em: . Acesso em 15 abr 2018.

Brasil. Ministério da Saúde. Pré-natal e puerpério: atenção qualificada e humanizada. Secretaria de Atenção à Saúde. 5º Ed. Brasília - DF. 2006.

Cunha MA et al. Assistência pré-natal: competências essenciais desempenhadas por enfermeiros. Rio de Janeiro: Esc Anna Nery Rev Enferm. 2009; 1(13):146-153.

Araujo, M. Produção de cuidado humanizado: Uma experiência com o grupo de gestantes na atenção básica de saúde. 2011. Disponível em: . Acesso em 25 mar 2018.

São Paulo. Secretaria Municipal de Saúde. Protocolo para assistência ao pré-natal e puerpério. 2009. Disponível em: . Acesso em 22 mar 2018.

Conselho Regional de Enfermagem - CORENSP. Parecer técnico 099.152/2012. Solicitação de exames por Enfermeiro e avaliação de resultado. Disponível em: https://portal.coren-sp.gov.br/pareceres/solicitacao-de-exames-por-enfermeiro-e-avaliacao-de-resultado/. Acesso em 25 mar 2018.

Santos L, et al. Orientação nutricional no pré-natal em serviços públicos de saúde no município de Ribeirão Preto: o discurso e a prática assistencial. Ribeirão Preto: Rev Latino Am Enferm. 2006; 14(5):41-47.

Araújo SM, et al. A importância do pré-natal e a assistência de enfermagem. Veredas: FAVIP - Rev Eletr Ciências. 2013; 3(2):61-67.

Gonçalves MD, Kowalski ISG, Sá AC. Atenção ao pré-natal de baixo risco: atitudes dos enfermeiros da estratégia saúde da família. Rio de Janeiro: Rev Enferm UERJ. 2016; 24(6):e18736.


Visualizações do PDF:

11 views


Visualizações do Resumo:

27 views

Apontamentos

  • Não há apontamentos.
Copyright: ©-2014 Revista Recien - Revista Científica de Enfermagem. Todos os direitos reservados.
Tema: Mason Publishing Group. Customizado por: Articloud